Brasileiro é julgado na Espanha após confessar assassinato da namorada

O julgamento do brasileiro Edson C.C, acusado de esfaquear e matar a namorada Marialva A.P, começou nesta segunda-feira no tribunal de Tarragona, no nordeste da Espanha.

Edson, de 31 anos, confessou ter assassinado a namorada, de 28 anos, e pode pegar até 27 anos de prisão. Ele afirmou ter cometido o crime sob o efeito de drogas e álcool depois de uma discussão por ciúmes.

O assassinato aconteceu no dia 25 de agosto de 2007 no apartamento do casal na cidade de Cambrills, em Tarragona. O crime foi cometido na frente do filho do casal, que tinha seis anos na época.

Acusações

Segundo o advogado de acusação, a vítima foi esfaqueada com um facão de cozinha em diversas partes do corpo. Ela tentou fugir, mas foi golpeada na coluna e depois asfixiada com uma toalha.

Por todos estes atos, a acusação pede 27 anos de prisão por crime de homicídio doloso e intencional, delito de lesões no âmbito familiar e violência habitual no lar.

O réu declarou que “não lembra nada”. No depoimento perante o juiz, Edson negou ter ameaçado ou agredido a vítima durante os seis anos de relacionamento, mas afirmou que nos dois anos e meio de vida na Espanha o casal tinha problemas.

Edson disse ainda que havia se drogado na noite do crime. Ele afirmou que se lembra somente de ter ido à delegacia se entregar e confessar o assassinato de Marialva - um condicionante que o advogado de defesa disse ser fundamental e por isso pede a absolvição ao jurado popular responsável pela sentença.

Na chegada ao tribunal, Edson teve que ser protegido pela polícia das agressões dos irmãos da vítima, que o receberam com socos e pontapés. Eles usavam camisas pretas com a foto de Marialva e gritavam por justiça.

Notícias relacionadas