Irã quer mais negociações sobre plano nuclear

Imagem de satélite da usina próxima de Qom
Image caption Irã diz que desenvolve programa nuclear com fins pacíficos

A agência de notícias estatal iraniana IRNA informou nesta sexta-feira que o governo do Irã não deu sua resposta final à proposta da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) de enriquecer urânio iraniano no exterior e quer mais negociações sobre o tema.

A agência da ONU afirmou na quinta-feira que tinha recebido um parecer inicial do Irã a respeito do acordo, mas, segundo a IRNA, não houve uma resposta do governo iraniano à proposta.

“A mensagem do Irã não contém uma resposta ao esboço de acordo. Se outra rodada de negociações for realizada, a República Islâmica vai anunciar sua visão, e não sua resposta, durante essas negociações”, disse a agência, citando uma fonte não-identificada.

A fonte ressaltou que o país ainda quer que o plano contemple o envio de combustível nuclear para um reator em Teerã.

"A República Islâmica apenas anunciou sua opinião positiva a respeito da negociação e disse que está pronta para negociações, baseada em suas considerações técnicas e econômicas a respeito de como obter o combustível para o reator de Teerã", informou a agência citando uma fonte não identificada.

Prazo

Pela proposta da AIEA, que tem o apoio americano, o urânio iraniano seria enviado à Rússia e à França para enriquecimento e voltaria ao país após ser transformado em combustível nuclear para uso civil.

O governo dos Estados Unidos alertou que o Irã não tem um prazo ilimitado para aceitar a proposta da agência da ONU.

Inicialmente o Irã teria que ter dado sua resposta à proposta da AIEA no dia 23 de outubro.

Teerã diz que seu programa nuclear tem fins pacíficos, mas vários países, entre eles os Estados Unidos, manifestaram publicamente o temor de que a tecnologia seja usada para produzir armas nucleares.

A descoberta da existência de uma instalação nuclear perto da cidade de Qom, no mês passado, aumentou os temores ocidentais sobre as verdadeiras intenções do governo iraniano.

Notícias relacionadas

Links de internet relacionados

A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos de internet