Apagão deixa várias cidades sem energia elétrica

A praia de Copacabana sem energia elétrica. Foto AP/Felipe Dana
Image caption O apagão atingiu a cidade do Rio de Janeiro. No detalhe, a praia de Copacabana

Um apagão deixou grandes extensões de vários Estados brasileiros sem energia elétrica desde a noite de terça-feira.

Por volta das 22h (horário de Brasília), o fornecimento de energia elétrica interrompido em grandes áreas dos Estados de Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Espírito Santo e Mato Grosso do Sul.

De acordo com o ONS (Operador Nacional do Sistema), cerca de 800 cidades foram atingidas pela falta de energia elétrica.

Segundo o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, houve um desligamento completo da hidrelétrica de Itaipu Binacional o que causou um efeito cascata.

Apesar disso, o presidente da Usina, Jorge Samek, afirmou que o problema não foi na geração de energia, mas na transmissão.

“A causa do blecaute não teve origem na usina de Itaipu”, diz um comunicado divulgado pela hidrelétrica.

Segundo a nota, a hipótese mais provável “é que tenha havido algum acidente que afetou um ou mais pontos do sistema de transmissão, inclusive o de Furnas, responsável por levar a energia de Itaipu para o Sul e Sudeste, acidente este que provocou outros, fenômeno que se costuma chamar de efeito dominó”.

O comunicado afirma ainda que por volta da 1h desta quarta-feira, a Usina “aguarda o restabelecimento do sistema interligado para dar início ao fornecimento de energia”.

De acordo com o assessor de comunicação da hidrelétrica Itaipu Binacional, Gilmar Piola, enquanto não se souber os motivos da interrupção, não se pode dizer quanto tempo levará para que o fornecimento seja retomado.

Normalização

O diretor da ONS, Eduardo Barata, afirmou que técnicos estão trabalhando para a recomposição do fornecimento de energia elétrica em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Em algumas regiões do Rio de Janeiro, como na Baixada Fluminense, o fornecimento já foi retomado.

Em Minas Gerais, a energia também voltou. De acordo com a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), a energia elétrica voltou a operar em todo o Estado por volta das 0h20 de quarta-feira.

Em Brasília, Lobão afirmou que o ONS está trabalhando ativamente para identificar as causas do problema que deixou milhões de pessoas sem energia.

De acordo com o diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Nelson José Hubner Moreira, o grande esforço no momento não seria tentar encontrar a causa do apagão, mas “restabelecer o sistema”.

Segurança

Como medida de segurança, o governador de do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, que estava em Brasília durante o apagão, disse entrou em contato com o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e pediu para que ele coloque em alerta máximo a Guarda Municipal.

Segundo Cabral, a medida é preventiva porque, apesar da falta de energia, a situação na cidade é tranquila. O governador também determinou que o Batalhão de Operações Especiais (Bope) fosse para as principais vias da cidade a fim de garantir a segurança dos motoristas. Ele pediu ainda que a Secretaria de Saúde e Defesa Civil coloque ambulâncias nas ruas.

O Rio de Janeiro, segundo o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, é o estado mais atingido pelo apagão.

A falta de energia causa problemas principalmente para o trânsito. No Rio de Janeiro os sinais de trânsito estão desligados e a circulação de veículos está complicada.

Na cidade de São Paulo a situação também é a mesma com o trânsito apresentando problemas nos principais corredores de tráfego.