Ataque a mesquita mata pelo menos 35 no Paquistão

Forças de segurança próximas ao local do ataque em Rawalpindi, no Paquistão
Image caption Forças de segurança do Paquistão têm sido alvo de vários ataques

Pelo menos 35 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas em um ataque a uma mesquita próxima ao complexo militar de Rawalpindi, no norte do Paquistão.

Segundo a polícia local, pelo menos quatro atiradores abriram fogo contra os fiéis que lotavam o local durante as orações desta sexta-feira. Testemunhas afirmam que também foram lançadas granadas no local.

Durante mais de uma hora, as forças de segurança paquistanesas e os atiradores se enfrentaram. Três dos atiradores eram homens-bomba e se explodiram no local, segundo a polícia.

De acordo com o ministro do Interior do Paquistão, Rehman Malik, as explosões fizeram com que o teto da mesquita desabasse.

A mesquita atacada era frequentada por muitos integrantes das forças de segurança, e acredita-se que a maioria dos mortos sejam militares e oficiais de reserva.

Ofensiva

Segundo a repórter da BBC em Rawalpindi Orla Guerin há movimentação de helicópteros na área atacada, o que sugere que as forças de segurança ainda estejam procurando suspeitos do ataque.

As forças de segurança do Paquistão têm sido alvo de vários ataques nos últimos meses, em meio a uma ofensiva do governo contra militantes do Talebã na região noroeste do país.

"Eles estão se vingando das operações bem-sucedidas do Exército do Paquistão nas regiões do Waziristão e do Vale do Swat", disse o ministro do Interior à rede de TV ARY.

Até agora, nenhum grupo assumiu a autoria dos ataques.

Notícias relacionadas