Meio Ambiente

Sede de conferência é palco para ativistas em Copenhague

Player

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

O Bella Center, onde acontecem as negociações sobre mudanças climáticas das Nações Unidas, em Copenhague, também é palco de diversas manifestações diárias de ativistas ambientais.

Nesta quarta-feira, a Rede Ambiental Indígena, protestou contra a exploração de petróleo nas areias da bacia do rio Athabasca, no estado de Alberta, no Canadá.

De acordo com a organização, a água utilizada na exploração do petróleo contido nas areias do Athabasca é feita utilizando muita água: para cada barril de petróleo, são necessários entre dois e 4,5 barris d’água.

Nos cálculos da organização, a indústria deve generar cerca de 8 bilhões de rejeito de areia, além de 1 bilhão de metros cúbicos de esgoto.

E a produção deve aumentar dos atuais 2,7 milhões diários para 6 milhões diários até 2030, segundo os ativistas.

Para chamar a atenção para a situação dos indígenas que vivem na região e reclamam da poluição provocada pela indústria, os ambientalistas convidaram um representante das populações locais para vir a Copenhague.

Os indígenas afirmam que os rios estão ficando tão poluídos que ninguém mais pode beber água ou pescar neles.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.