Grã-Bretanha anuncia medidas para tentar conter déficit

Image caption Darling anunciou taxação em 50% de bônus de executivos

O ministro britânico das Finanças, Alistair Darling, anunciou nesta quarta-feira uma série de medidas para tentar conter o déficit orçamentário do país.

Entre as medidas anunciadas está o reajuste da contribuição previdenciária em 0,5% a partir de 2011, e um teto nos reajustes salariais dos funcionários públicos, que não poderão exceder 1%.

O ministro disse que as medidas procuraram ser justas do ponto de vista social.

"Os que ganham menos vão ser protegidos. Os que recebem salários médios pagarão mais, dependo de seus rendimentos. O peso maior cairá sobre os que podem arcar com isso", disse ele.

Bônus

Darling também anunciou a adoção de um imposto de 50% nos bônus acima de 25 mil libras (equivalentes a cerca de R$ 71 mil) pagos a executivos de bancos.

O governo britânico lançou ainda estímulos a iniciativas verdes, como isenções tributárias para a compra de carros elétricos e de turbinas usadas na produção de energia eólica.

Darling admitiu que a retração da economia britânica em 2009 deve chegar a 4,75%, superando a previsão feita em abril de 3,5%.

O déficit público também deve superar a previsão de 175 bilhões de libras, alcançando os 178 bilhões de libras.

O ministro afirmou que deseja promover o crescimento sem ameaçar a recuperação econômica.

Mas o anúncio foi criticado pela oposição, tanto conservadora como liberal-democrata, que considerou as medidas insuficientes para a recuperação econômica do país e arquitetadas levando em conta as eleições gerais no país, previstas para maio.