Rascunho de acordo final está 90% pronto, diz negociador do Brasil em Copenhague

Copenhague
Image caption O acordo deve substituir o protocolo de Kyoto

O negociador-chefe do Brasil na reunião das Nações Unidas sobre o clima, em Copenhague, embaixador Luiz Alberto Figueiredo Machado, afirmou nesta quinta-feira que o esqueleto de um documento que poderá ser assinado na próxima semana “está 90% pronto”.

“Muito embora ainda faltem algumas horas de trabalho”, afirmou Figueiredo, revelando que os trabalhos de redação do texto devem entrar pela noite.

Figueiredo é vice-presidente do grupo de trabalho que prepara um texto para um novo acordo pós-Kyoto, que incluiria os Estados Unidos, e afirmou que apresentará o rascunho às 8h de sexta-feira.

Detalhes

O diplomata admitiu, entretanto, que faltam detalhes importantes, como por exemplo, decisões e valores para financiamentos de longo prazo de ações contra as mudanças climáticas em países em desenvolvimento.

“Todos os países desenvolvidos estão com dificuldades em colocar na mesa, não apenas números claros, mas também mecanismos para financiamentos de longo prazo”, disse.

O diplomata destacou a Noruega como única exceção, por estar propondo números claros para o financiamento.

Para o Brasil, o valor do financiamento deveria girar em torno de US$ 200 bilhões por ano.

Por outro lado, Figueiredo afirmou que no ponto de redução de emissões por desmatamento e degradação (Redd) está praticamente pronto.

“Mas nada está acordado até que tudo esteja. Não há acordo como um todo”, disse, acrescentando estar preocupado com o atraso na decisão sobre outros temas.

E mesmo com a apresentação do rascunho, ainda devem acontecer muitas horas de negociação.

“A preocupação é que seja um texto que tenha elementos de todas as posições e que possa ser encarado como um esforço honesto para conseguir avançar as negociações”, disse Figueiredo.

Neste fim de semana, começam a chegar os ministros dos 192 países que participam da conferência sobre mudanças climáticas.

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, desembarca na capital dinamarquesa no domingo.

Notícias relacionadas