Após protestos, Israel anuncia fundos a colonos judeus

Image caption Netanyahu propôs o congelamento há duas semanas

O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, anunciou nesta quinta-feira que o governo vai destinar mais fundos e benefícios a colonos judeus residentes em assentamentos na Cisjordânia.

O anúncio é feito apenas um dia após grandes protestos contra os planos de congelamento nas construções na região. Os protestos da quarta-feira, ocorridos em frente à residência de Netanyahu em Jerusalém, foram considerados um grande ato de desafio.

O programa anunciado pelo premiê fornecerá fundos para transporte, educação e saúde.

O porta-voz do governo, Mark Regev, negou que o anúncio tenha sido feito em resposta aos protestos, afirmando que vão ser beneficiados também israelenses que residam próximos da fronteira de Gaza, Líbano e de comunidades de árabe-israelenses.

"A posição deste governo é que o futuro dos assentamentos deve ser negociado", disse ele.

"Neste meio tempo, os que vivem em comunidades que enfrentam desafios especiais vão receber as mesmas coisas que os outros cidadãos de Israel recebem", afirmou o premiê.

Resistência

Yshai Hollender, um porta-voz dos colonos afirmou à agência de notícias Associated Press que a proposta seria "um passo na direção certa, mas ainda resta um longo caminho".

Image caption Os colonos judeus querem a ampliação dos assentamentos

"Continuaremos resistindo ao congelamento até ele ser revertido", disse ele.

Há duas semanas, Netanyahu anunciou o congelamento de dez meses nas construções em assentamentos na Cisjordânia alegando ser uma estratégia para que os palestinos voltassem à mesa de negociações.

Mas os palestinos disseram que a medida seria insuficiente já que o congelamento não inclui Jerusalém Oriental.

Tanto a Cisjordânia como Jerusalém Oriental foram capturadas por Israel em 1967 e fazem parte dos planos palestinos para a construção de um futuro Estado.

Os assentamentos judaicos na Cisjordânia são considerados um dos maiores obstáculos ao avanço das negociações entre os dois lados.

Notícias relacionadas