Ataque contra brasileiros deixa 13 feridos no Suriname

As autoridades do Suriname abriram uma investigação para apurar as circunstâncias de um ataque contra brasileiros na região da cidade de Albina, no norte do país, que deixou pelo menos 13 feridos.

De acordo com o Itamaraty, o ataque, na véspera do Natal, teria sido uma vingança pelo suposto assassinato de um morador local, que seria surinamês, por um brasileiro.

A agência de notícias Caribbean Media Corporation informou que a comunidade local usou machados e facões para atacar brasileiros e também chineses.

O Exército surinamês disse que quase cem brasileiros e chineses foram levados a uma base local das Forças Armadas para protegê-los e, na sexta-feira, foram transportados à capital do país, Paramaribo.

Estupros

Em uma coletiva, ministro da Polícia e Justiça do Suriname, Chandrikapersad Santokhi, confirmou que 13 pessoas ficaram feridas.

“Não há justificativa para o que aconteceu”, disse o ministro, acrescentando que vários suspeitos pelo ataque já foram presos.

Autoridades de segurança informaram que há relatos de que pelo menos 20 mulheres brasileiras, incluindo uma mulher grávida, teriam sido estupradas durante o incidente.

Também há informações de que vários prédios, entre eles um shopping center, um supermercado e um posto de combustível, foram queimados ou saqueados.

Membros do Exército e da Polícia foram mobilizados para conter os ataques e saques, pacificando a região.

Albina tem cerca de cinco mil habitantes e é o principal ponto de travessia entre o Suriname e a Guiana Francesa.