Britânico é 1º tetraplégico a atravessar o Atlântico em navegação solo

Holt a bordo de seu catamarã, Impossible Dream
Image caption Travessia foi prejudicada por ventos fracos e problemas mecânicos

Um velejador britânico se tornou o primeiro tetraplégico a cruzar o Oceano Atlântico navegando sozinho.

Geoff Holt, de 42 anos, havia começado sua viagem de 4.345 quilômetros de distância em Lanzarote, nas Ilhas Canárias, no dia 10 de dezembro, e completou o percurso até Tortola, na Ilhas Virgens Britânicas, nesta quinta-feira.

Sua viagem, inicialmente prevista para durar apenas 17 dias, foi prejudicada pelos ventos fracos e por problemas mecânicos em seu catamarã de 18 metros.

A embarcação, batizada de Impossible Dream (Sonho Impossível), foi especialmente construída para a travessia.

Durante a viagem, ele foi auxiliado por uma médica e filmado por um câmera, mas operou sozinho todos os controles de navegação do barco, por meio de um sistema hidráulico especial.

Acidente de mergulho

Image caption Geoff Holt ficou tetraplégico após um acidente de mergulho em 1984

Esta foi a quarta vez que Holt cruzou o Atlântico, mas a primeira desde 1984, quando sofreu o acidente que o deixou paraplégico.

Ele perdeu o movimento das mãos e das pernas após bater a cabeça durante um mergulho.

Holt já havia se tornado em 2007 o primeiro tetraplégico a circunavegar sozinho a Grã-Bretanha.

O local escolhido para a chegada da travessia do Atlântico, nas Ilhas Virgens, foi o mesmo no qual Holt sofreu o acidente que o deixou tetraplégico, há mais de 25 anos.

“É fantástico, é absolutamente maravilhoso estar de volta depois de 25 anos para atravessar o Oceano Atlântico. É muito emocionante”, afirmou Holt à BBC após a chegada.

“Isso está sendo planejado há anos. Era meu sonho voltar a cruzar o Atlântico navegando e acabei de fazer isso”, disse.