Forte terremoto causa destruição no Haiti

Vítima é carregada após terremoto em Porto Príncipe. Foto AP/ Radio Tele Ginen
Image caption Médico local disse que 'centenas' podem estar mortos

Um terremoto de 7.0 graus na escala Richter abalou o Haiti na terça-feira - o tremor mais forte a afetar o país nos últimos 200 anos.

Segundo o US Geological Survey, o terremoto ocorreu por volta das 16:53h (horário local, 19:53 de Brasília).

O epicentro do tremore foi localizado a cerca de 15 quilômetros da capital, Porto Príncipe, e teria sido a apenas 10 quilômetros de profundidade.

Ainda não há informações sobre o total de vítimas. Um médico local disse à agência de notícias AFP que "centenas" podem estar mortos.

Há relatos de que o centro da capital estaria destruído. Imagens de Porto Príncipe mostram o Palácio Presidencial bastante danificado e ainda há relatos de que um hospital teria desmoronado com os tremores.

O secretário da ONU para Operações de Paz, Alain Le Roy, afirmou que a sede da Organização no país foi gravemente afetada e diversos funcionários estariam desaparecidos.

Pelo menos dois tremores secundários – de 5.9 e 5.5 graus, respectivamente, foram registrados logo após o primeiro terremoto. Cerca de cinco horas após o tremor inicial, uma testemunha disse à BBC que esses tremores secundários eram sentidos a cada dez minutos.

Mike Blanpeid, do US Geological Survey, disse à BBC que os tremores secundários devem continuar.

Segundo ele, cerca de 3 milhões de pessoas devem ter sido atingidas pelos tremores da terça-feira. O especialista disse ainda que o epicentro raso - de apenas 10 km de profundidade - é ainda mais devastador e os estragos devem ser "significativos".

Um alerta de tsunami para alguns países do Caribe, inclusive o Haiti, foi acionado logo após os tremores, mas já foi suspenso.

'Catástrofe'

O embaixador do Haiti nos Estados Unidos, Raymond Joseph, disse à rede de notícias CNN que os tremores foram "uma catástrofe de grandes proporções".

Joseph afirmou ainda que conversou com um assessor do governo do Haiti que o descreveu cenas de "caos e devastação".

O presidente dos EUA, Barack Obama, pediu para que os funcionários do governo se preparem para prestar assistência humanitária e disse que está “monitorando de perto a situação” e que o país “está pronto para ajudar o povo do Haiti”.

O visitante do governo americano Henry Bahn, do ministério da Agricultura, disse à agência de notícias Associated Press que o céu em Porto Príncipe estava “só cinza e com fumaça”.

Uma residente da capital, Valerie Molerie, de 15 anos, disse que muitas pessoas feridas estão nas ruas e que várias casas desmoronaram.

O Banco Interamericano de Desenvolvimento anunciou a liberação de US$ 200 mil para uma ajuda de emergência ao país.

Brasil

O Brasil está no comando da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah), criada em 2004 para restabelecer a ordem política no país.

A Minustah tem tropas de 15 países e atualmente o Brasil possui cerca de 1,2 mil militares trabalhando em solo haitiano.

Um porta-voz do Itamaraty disse à BBC Brasil que o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, já conversou com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a situação no Haiti. Amorim relatou a dificuldade do governo em conseguir informações da área atingida pelo terremoto.

Segundo o Itamaraty, "o presidente disse estar bastante preocupado com a situação dramática do país".

O governo, no entanto, ainda não tem informações sobre a situação dos brasileiros no Haiti.

O Haiti é o país mais pobre das Américas e ainda estava se recuperando de um furacão que atingiu seu território há aproximadamente um ano.

Notícias relacionadas