Tremor matou chefe da ONU no Haiti, diz ministro francês

Hedi Annabi (foto: Agência Brasil)
Image caption Annabi chefiava a missão da ONU no Haiti desde o fim de 2007 (foto: Agência Brasil)

O chefe da missão de paz da ONU no Haiti, o tunisiano Hédi Annabi, teria morrido em consequência do terremoto que atingiu a capital do país, Porto Príncipe, na terça-feira, segundo afirmou o ministro das Relações Exteriores da França, Bernard Kouchner, nesta quarta-feira.

“O prédio da missão de paz da ONU desmoronou e parece que todos os que estavam dentro do prédio, incluindo meu amigo Hedi Annabi, e todos aqueles que estavam com ele e à sua volta estão mortos”, afirmou Kouchner à rádio francesa RTL.

Annabi, de 65 anos, estava à frente da missão da ONU no Haiti (Minustah) desde 1º de setembro de 2007. Antes disso, ele ocupou por dez anos a subsecretaria-adjunta da ONU para as operações de manutenção de paz.

Ainda na ONU, foi diretor de assuntos humanitários para o Sudeste Asiático, onde participou da instalação do governo provisório do Cambodja, nos anos 80.

Antes de iniciar sua carreira na ONU, Annabi foi conselheiro diplomático do governo da Tunísia, e em seguida diretor-geral da agência Tunis-Afrique-Presse.

Ele era formado em literatura inglesa pela Universidade de Túnis, em ciência política pelo Instituto de Estudos Políticos de Paris, e em relações internacionais pelo Instituto Universitário de Altos Estudos Internacionais de Genebra.

O Brasil exerce o comando militar da Minustah, que conta com cerca de 7 mil soldados (1.266 deles brasileiros).

A força de paz da ONU no Haiti conta ainda com outros 2 mil civis.

Notícias relacionadas