Zilda Arns morre em terremoto no Haiti

A médica sanitarista Zilda Arns durante lançamento da Campanha da Fraternidade de 2008 (Foto: Marcello Casal/Abr)
Image caption Zilda Arns teria morrido enquanto caminhava em rua de Porto Príncipe

A médica sanitarista Zilda Arns Neumann, fundadora da Pastoral da Criança, morreu no terremoto no Haiti da última terça-feira, informou o gabinete do senador Flávio Arns (PSDB-PR), que é sobrinho de Zilda.

O falecimento também foi confirmado pela Pastoral da Criança.

Irmã do arcebispo emérito de São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns, Zilda teria morrido após escombros caírem sobre ela, enquanto caminhava na rua.

Segundo o gabinete do senador Flávio Arns, Zilda estava acompanhada de um membro do Exército brasileiro – que não foi identificado – e teria morrido imediatamente.

A Pastoral da Criança informou que Zilda estava no Haiti em uma missão da organização, participando de encontros com religiosos haitianos.

Ela havia chegado ao país no último dia 10 e retornaria ao Brasil na próxima sexta-feira.

Nascida em Forquilhinha, Santa Catarina, Zilda tinha 75 anos e morava em Curitiba (PR). Ela deixa cinco filhos e dez netos.

Assistência social

Médica com experiência em saúde pública, Zilda também era coordenadora e fundadora da Pastoral da Pessoa Idosa, organismo que, assim como a Pastoral da Criança, é ligado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

Fundada em 1983 por Zilda e dom Geraldo Majela Agnello, a Pastoral da Criança promove ações preventivas de saúde, nutrição e educação para crianças de zero a seis anos em todo o país e conta com 260 mil voluntários.

Por seu trabalho de assistência social, Zilda Arns recebeu diversas premiações, como o Prêmio Woodrow Wilson de Serviços Públicos (2007) e o de Heroína de Saúde Pública das Américas (2002), concedido pela Organização Pan-Americana da Saúde.