Espanha aprova extradição de piloto de ‘voos da morte’ na Argentina

Julio Alberto Poch
Image caption Poch teria pilotado os aviões dos voos da morte na Argentina

A Justiça da Espanha autorizou, nesta segunda-feira, a extradição para a Argentina do ex-piloto militar Julio Alberto Poch para que seja julgado por sua participação em crimes cometidos durante a ditadura argentina (1976-1983).

Poch, de 57 anos, tem nacionalidade holandesa e argentina e está sob custódia em Madri desde sua prisão, em janeiro.

Ele é procurado na Argentina pela suposta participação como piloto em voos usados para jogar no mar oponentes do regime militar – os chamados “voos da morte”.

A Justiça alega que Poch era integrante da Escola de Mecânica da Marinha, um dos maiores centros de tortura e detenção do regime militar argentino.

Poch nega todas as acusações.

Prisão

O piloto foi detido no aeroporto de Valência no dia 22 de setembro, durante uma escala entre Espanha e Amsterdã quando pilotava um avião da companhia aérea Dutch Transavia, filial da Air France-KLM.

Em outubro, um juiz havia rejeitado o pedido do advogado do piloto para que ele fosse liberado.

O advogado alega que o cliente jamais teve ligação com a Escola de Mecânica da Marinha.

O ex-militar aceitou a extradição à Argentina na última quarta-feira e pediu um "julgamento justo".

As autoridades argentinas já tinham solicitado à Holanda, no final de 2008, a extradição do ex-militar, após ouvir relatos sobre o envolvimento de Poch nos "voos da morte".

Links de internet relacionados

A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos de internet