Homem que atirou em João Paulo 2º é solto de prisão turca

Mehmet Ali Agca
Image caption Mehmet Ali Agca alega ser um novo messias

O homem que tentou matar o papa João Paulo 2º em 1981 foi libertado de uma prisão na Turquia.

Mehmet Ali Agca cumpriu 19 anos de prisão na Itália por 19 anos por atirar no papa. Depois ficou encarcerado dez anos em uma prisão turca por ter assassinado anteriormente o editor de um jornal, Abdi Ipekci.

Agca, membro de um grupo turco de extrema-direita, matou o jornalista, de tendência esquerdista, em 1979. Mas ele fugiu da cadeia após ter cumprido menos de seis meses de sua pena inicial, de prisão perpétua.

Dois anos depois, no dia 13 de maio de 1981, ele atacou o papa, a tiros, quando o pontífice atravessava a Praça São Pedro no Vaticano em carro aberto.

João Paulo 2º ficou gravemente ferido mas conseguiu se recuperar.

Os motivos que levaram Agca a tentar matar João Paulo 2º ainda são desconhecidos. Quando foi preso ele disse que tinha agido sozinho.

Em 1983, o papa anunciou que tinha perdoado Agca, depois de um encontro entre ambos.

Há muito há dúvidas sobre a saúde mental de Agca, que chegou a alegar que seria um novo messias.

Em uma declaração emitida ao ser libertado, o homem que atirou em João Paulo 2º disse: "Eu proclamo o fim do mundo. O mundo será destruído neste século. Todos os seres humanos vão morrer neste século (...) Eu sou o Cristo eterno."

Os meios de comunicação da Turquia dizem que agora Agca, de 52 anos, será levado para uma instalação militar e depois para um hospital.