Auditoria recomenda que parlamentares britânicos devolvam R$ 3 mi aos cofres públicos

Sir Thomas Legg (BBC)
Image caption Thomas Legg foi um dos responsáveis pela auditoria

Parlamentares britânicos devem devolver ao governo 1,12 milhão de libras (cerca de R$ 3,2 milhões) para ressarcir os cofres públicos por terem recebido reembolsos por despesas consideradas indevidas. O valor foi estimado por uma auditoria criada para colocar fim ao escândalo de gastos que abalou a política britânica no ano passado.

De acordo com um dos responsáveis pela auditoria, Thomas Legg, 390 parlamentares devem devolver dinheiro aos cofres públicos. Isto significa que mais da metade dos parlamentares investigados foram responsabilizados por pedirem ressarcimento por despesas pessoais.

Ele recomendou que três parlamentares devolvam montantes acima de 40 mil libras e que outros 56 reembolsem o governo em valores entre 40 mil e 5 mil libras. A auditoria remonta a gastos reivindicados desde 2004.

Legg afirmou que 800 mil libras já foram devolvidas - algumas vezes de forma voluntária - nos meses que seguiram ao início do escândalo dos gastos.

Gastos

O escândalo teve início quando as quantias reembolsadas por diversas despesas dos parlamentares foram publicadas pelo jornal Daily Telegraph, em maio do ano passado.

Parlamentares dos principais partidos britânicos se viram envolvidos no escândalo de pedido de reembolso aos cofres públicos por despesas pessoais.

Entre os pedidos de ressarcimento estavam gastos com móveis caros e aparelhos de televisão, além de valores acima do necessário para amortização de hipotecas e pagamento de aluguéis das segundas casas dos parlamentares.