Milionário desiludido com riqueza rifa a própria mansão

Karl Rabeder  (Cortesia: MyMicroCredit)
Image caption Rabeder deu a guinada na sua vida em 2004, ao se desfazer da empresa (Cortesia: MyMicroCredit)

Um austríaco que se desiludiu com o estilo de vida milionário vendeu a sua empresa, se desfez de vários bens e agora está rifando a sua mansão de R$ 3,8 milhões nos Alpes para levantar capital para um banco de microcrédito para pessoas pobres na América Latina, na África e na Ásia.

Em 2004, o milionário Karl Rabeder decidiu se desfazer de sua bem-sucedida empresa de móveis e interiores para se dedicar a atividades filantrópicas, como o financiamento de orfanatos e organizações que fornecem microcrédito na Bolívia, El Salvador e Nicarágua.

De lá para cá, Rabeder se desfez de sua limusine, seus planadores e quase todos os seus bens, e hoje vive em um apartamento alugado em Innsbruck, na Áustria, administrando a empresa sem fins lucrativos MyMicroCredit.

"Quando vejo um brilho nos olhos de outras pessoas, fico realmente feliz", afirmou o ex-milionário, que vem de uma humilde família austríaca.

Image caption O milionário mandou construir a mansão de 1,5 milhão de euros (Cortesia: MyMicroCredit)

O último grande bem ainda no seu nome é a mansão, que será rifada no dia 28 de fevereiro. Qualquer cidadão da União Europeia pode comprar uma ou mais das 21.999 rifas.

Cada uma custa 99 euros (cerca de R$ 250).

Rabeder não deve lucrar com a venda da casa de 321 metros quadrados, em um terreno de 2.711 m².

Microempresas

A MyMicroCredit fornece pequenos empréstimos, entre 200 e 1,5 mil euros, a famílias pobres interessadas em iniciar a sua própria empresa ou expandir seus negócios.

Por menos de 400 euros é possível comprar uma pequena estufa, máquina de costura ou uma carrocinha para vender suco de frutas como ambulante.

Rafaela Carijo, da Bolívia, é uma das beneficiadas pelo projeto do austríaco e hoje vende água de coco com uma carrocinha comprada por 350 euros, com o empréstimo do MyMicroCredit.

Image caption Rafaela Carijo, da Bolívia, comprou uma carrocinha por 350 euros (Cortesia: MyMicroCredit)

Por meio do site da organização de Rabeder, qualquer pessoa pode colaborar com empréstimos a começar por 25 euros, que segundo a instituição, "têm grande possibilidade de serem devolvidos".

"Eu desejo que a MyMicroCredit se transforme em uma grande família, que possibilite uma troca regular em todos os sentidos", afirmou Rabeder.

O austríaco afirma que a taxa de quitação das dívidas dos beneficiados é de cerca de 98%.

A intenção do austríaco é engajar cada vez mais cidadãos europeus por meio de microinvestimentos nos projetos que a ONG fundada por ele seleciona.