Estados Unidos

Sea World decide ficar com orca que matou treinadora

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

A baleia orca que atacou e matou sua treinadora no Sea World, em Orlando, no Estado americano da Flórida, vai permanecer no parque.

A diretoria do Sea World informou ainda que o animal, um macho batizado de Tillikum, vai continuar interagindo com os funcionários do local.

O parque suspendeu temporariamente todas as apresentações com orcas e disse que vai rever seus procedimentos de segurança.

A treinadora Dawn Brancheau, de 40 anos, morreu no final de um show, quando a orca a agarrou pela cintura e a levou para debaixo d'água.

"Vamos fazer todas as mudanças necessárias para que isso não volte a acontecer", disse Chuck Tompkins, chefe de treinamento dos parques Sea World.

Sete fêmeas

Tompkins rechaçou os apelos para que a baleia fosse devolvida a seu habitat natural ou sacrificada.

Segundo ele, a orca não sobreviveria nos oceanos porque passou muitos anos em cativeiro.

O treinador explicou que Tillikum tem um papel importante no programa de reprodução do Sea World e que atualmente é parceiro de sete baleias fêmeas do parque.

Nesta sexta-feira, uma família que assistia ao show de Tillikum e Brancheau divulgou imagens dos dois momentos antes da tragédia.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.