Na posse, Mujica diz esperar 'reciprocidade' no Mercosul

 O presidente do Uruguai, José Mujica
Image caption Mujica falou de integração latino-americana durante a posse

O novo presidente do Uruguai, José “Pepe” Mujica, afirmou nesta segunda-feira, em seu discurso de posse no cargo que espera "reciprocidade" dos países do Mercosul.

“O Mercosul é para nós até que a morte nos separe, mas esperamos uma atitude recíproca de nossos sócios maiores”, disse ele, na cerimônia no Palácio Legislativo (sede do Parlamento uruguaio).

O presidente falou da necessidade de integração e disse que, atualmente, a América Latina é como uma “família balcanizada”, na qual os integrantes tentam se entender, mas não conseguem. Segundo ele, é necessário que haja mais união entre os governos latino-americanos.

“Do Rio Bravo às Ilhas Malvinas, somos uma só nação”, afirmou o presidente.

Continuidade

Durante o discurso, Mujica reiterou o compromisso em “terminar com a indigência” e empreender “transformação e mudanças”.

O presidente sinalizou a intenção de dar continuidade ao trabalho do antecessor, Tabaré Vázquez, com “administração profissional da economia e uma macroeconomia arrumada”.

Nesse sentido, Mujica classificou o início dessa segunda gestão de esquerda como “mais do mesmo”.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteve presente nas primeiras horas da cerimônia de posse e deixou o Uruguai ao redor das 16h, em direção ao Chile.

Leia na BBC Brasil: Diálogo com o Brasil será mais fácil, diz aliada de Mujica

Além de Lula, também assistiram à posse de Mujica a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, e os presidentes da Argentina, Cristina Kirchner, da Venezuela, Hugo Chávez, da Colômbia, Álvaro Uribe, do Paraguai, Fernando Lugo, da Bolívia, Evo Morales, e do Equador, Rafael Correa, além do príncipe espanhol Felipe de Borbón.

Notícias relacionadas