Grã-Bretanha

Homem que empurrou mulher em trilho após ser repreendido por fumar é condenado

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

Um homem que empurrou uma mulher sobre trilhos ferroviários em uma estação na Inglaterra, depois de ser repreendido por estar fumando na plataforma, foi condenado a quatro anos de prisão.

Ionel Rapisca, 33 anos, foi considerado culpado por ter agredido e empurrado Linda Buchanan da plataforma da estação de Farningham Road, em Kent, em agosto de 2008.

O ataque foi filmado pelas câmeras de segurança da estação. Na ocasião, Buchanan, 59 anos, caiu perto de trilhos eletrificados de 750 volts, quebrando o pulso.

O juiz Charles MacDonald disse a Rapisca que se tratava de um caso de “fúria nos trilhos”.

Rapisca foi inocentado da acusação de agredir com intenção de machucar, mas foi condenado pela agressão depois de mais de três horas de deliberação do júri.

O juiz determinou que Rapisca deverá cumprir metade de sua sentença na prisão e a outra metade sob liberdade condicional.

A discussão entre Buchanan e Rapisca começou um dia antes do incidente, quando a consultora de administração pediu ao carpinteiro que não fumasse na estação - o que é proibido por lei - , dizendo: “eu não gosto do cheiro de câncer”.

No dia seguinte, 6 de agosto de 2008, Buchanan encontrou Rapisca de novo enquanto esperava o trem das 07h12 da manhã.

Rapisca então teria feito um “barulho obsceno” com a boca, disse a promotoria, antes de empurrá-la sobre os trilhos.

Estresse pós-traumático

Buchanan teve o pulso fraturado e sofreu ferimentos na coxa, além de estresse pós-traumático.

A vítima disse ao tribunal que ela pensou que Rapisca ia pular nos trilhos para “acabar comigo”, mas em vez disso, ele a resgatou e a trouxe de volta para a plataforma.

O cunhado de Rapisca, que também estava na estação, pegou o telefone celular de Buchanan antes de os dois deixarem a estação.

A consultora de administração foi demitida em 2008 depois de uma avaliação de seu empregador, que o juiz MacDonald ligou ao estresse pós-traumático sofrido por ela depois do evento.

Ao condenar Rapisca, o juiz disse: “Este foi um crime muito grave. Você poderia facilmente ter matado sua vítima.”

“A carreira dela foi destruída e agora sofre de uma doença psiquiátrica.”

A vítima, que não estava presente no tribunal, emitiu uma declaração: “Estou satisfeita com o resultado do caso e feliz por conseguir encerrá-lo depois de 18 meses”.

“Minha intenção era apenas explicar educadamente ao senhor Rapisca que é contra a lei fumar na estação, e permaneço extremamente chocada com o fato de isso ter resultado em um violento ataque não provocado.”

“Isto teve um grande impacto na minha vida e agora quero seguir adiante”, acrescentou ela.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.