Na véspera da posse, Piñera joga bola com Morales em partida beneficente

O presidente eleito do Chile, Sebastián Piñera
Image caption Piñera já convidou Lula para o torneio

Na véspera de assumir a Presidência do Chile, o presidente eleito do país, Sebastián Piñera, participou de uma partida de futebol beneficente com o líder boliviano, Evo Morales, para arrecadar fundos para ajudar as vítimas do terremoto do último dia 27.

Depois da vitória de 2 x O para o time chileno, Piñera disse à BBC Brasil que já convidou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para jogar uma partida. Segundo ele, Lula teria dito que “vai entrar em forma” para participar do jogo.

“Convidei o presidente Lula para jogar e ele disse que vai entrar em forma e virá com um time”, afirmou.

Piñera afirmou ainda que pediu ajuda ao ex-jogador brasileiro, Pelé, para implementar no Chile um sistema que estimule os chilenos a praticarem esporte.

“Entramos em contato com o rei Pelé, que foi ministro de Esportes do Brasil e tem experiência no assunto, para que nos ajude, para que os chilenos pratiquem mais esporte”, afirmou.

Segundo ele, 80% dos chilenos são sedentários e 40% obesos. Piñera disse ainda que espera contar com o apoio do ex-craque brasileiro para “reverter essa situação”.

Relações bilaterais

Piñera foi o autor de um dos dois gols contra o time reunido por Evo Morales. O presidente eleito ainda brincou com o parceiro boliviano, dizendo que o time adversário “mostrou força, garra, mas não fez nenhum gol".

O presidente eleito, que assume o cargo nesta quinta-feira, contou que a ideia desta partida surgiu numa reunião recente entre eles. Piñera disse que convidou o líder boliviano para o "desafio" de um jogo amistoso de futebol.

Evo aceitou e sugeriu que entraria em campo, em Santiago, com a seleção boliviana.

“Quando Evo me disse isso fiquei preocupado”, disse Piñera, ao lado do colega da Bolívia. “Sugeri, então, que fôssemos todos jogadores com mais de 50 anos de idade e ele topou”, afirmou.

Os times foram formados por ex-jogadores e assessores dos dois governos, que, muitas vezes, mostraram cansaço no gramado.

Na partida, realizada, sob sol forte, no campo de uma escola militar da capital chilena, os dois presidentes vestiram camisa branca e bermuda preta, além de chuteiras também preta e meias brancas.

Evo jogou com a camisa 10 e Piñera com a 9. Antes deste jogo, especulava-se na imprensa local e na boliviana que a relação entre os dois poderia ser difícil, já que o presidente Morales é definido como de esquerda e afirma ser “grande admirador” da atual presidente, Michelle Bachelet.

A partida terminou com os dois trocando camisetas de seus países e mostrando a taça dourada da vitória recebida por Piñera em nome do grupo chileno. O troféu, no entanto, foi entregue pelo presidente eleito ao líder boliviano.

“É para você colocar no Palácio Presidencial Queimado (em La Paz)”, disse Piñera a Morales.

Os dois riram novamente e deixaram o campo sob aplausos da torcida, formada por maioria de chilenos, que erguia bandeiras dos dois países.

“Vamos buscar as melhores relações com nossos países latino-americanos. Queremos ser países irmãos. E que resolvamos nossas diferenças com diálogo”, disse Piñera.

Segundo ele, outros presidentes, além de Lula, já foram convidados para seu torneio, como o presidente do Peru, Alan García.

Leia mais na BBC Brasil: Bachelet continua popular após tremor no Chile

Notícias relacionadas