Incêndio de túmulo de reis gera confrontos entre polícia e membros de etnia em Uganda

Tumba real em Uganda (AFP\Unesco)
Image caption As tumbas se transformaram em importante atração turística.

Soldados e policias abriram fogo para dispersar manifestantes em Campala, capital de Uganda, que tomaram as ruas após um incêndio ter destruído o túmulo histórico de quatro reis tribais em Uganda.

Alegações de que o fogo teria sido consequência de uma ação premeditada provocaram uma onda de protestos de membros da etnia buganda na cidade.

Milhares de pessoas foram às ruas e testemunhas afirmam que ao menos uma pessoa foi morta por militares que abriram fogo contra a multidão.

Os tiros foram disparados contra manifestantes que teriam tentado impedir a visita do presidente do país, Yoweri Museveni, ao local do incêndio, nos arredores da capital.

Segundo o correspondente da BBC Joshua Mmali, o incêndio nos túmulos de Kasubi causa grande comoção no país.

De acordo com ele, as tumbas eram reverenciadas pela comunidade da etnia buganda.

Buganda é o maior dos quatro antigos reinos de Uganda. Os reinos foram abolidos em 1966, mas reinstalados pelo governo de Museveni em 1993. O presidente, no entanto, os reinstalou como instituições culturais sem nenhum poder político.

Os túmulos de Kasubi, de quatro monarcas do reino de Buganda, são listado como patrimônio da Humanidade pela Unesco.As razões do incêndio ainda não estão claras.

Uma disputa de território entre o atual rei da região e o presidente Museveni levou a grandes protestos no fim do ano passado.