Homens são condenados por roubar letreiro de Auschwitz

Corte em Cracóvia
Image caption Os ladrões (faces borradas) deixaram rastros na neve

Três homens foram condenados nesta quinta-feira a penas entre 18 meses e dois anos e meio de prisão por um tribunal polonês, por roubarem o letreiro do antigo campo de concentração nazista de Auschwitz.

O letreiro de ferro fundido de cinco metros, com a inscrição Arbeit Macht Frei (“O trabalho liberta”, em tradução livre do alemão), foi roubado do portão do campo em dezembro passado e encontrada poucos dias depois.

O tribunal na cidade de Cracóvia (sul da Polônia) declarou que os três homens admitiram o roubo, portanto, o caso não precisou ir a julgamento.

Outros dois poloneses permanecem detidos por causa do roubo e estão sob investigação.

Extradição

O letreiro foi desparafusado, retirado de cima do portão e partido em três pedaços para facilitar a fuga dos ladrões, que deixaram rastros na neve.

Os três homens condenados nesta quinta-feira foram identificados como Radoslaw M., Lukasz M. e Pawel S. Dois deles são irmãos.

Na semana passada, as autoridades de Estocolmo, na Suécia, disseram que um ex-neonazista sueco, que supostamente instigou o roubo, será extraditado para a Polônia, onde deverá ser julgado.

Para muitos, o letreiro simboliza as atrocidades cometidas pelo regime nazista.

Depois do roubo, uma réplica foi colocada sobre o portão de Auschwitz, enquanto o letreiro original está sendo consertado.

O roubo causou horror em Israel, Polônia e em vários países.

Mais de um milhão de pessoas – 90% delas judias – foram assassinados pelos nazistas em Auschwitz durante a ocupação da Polônia na Segunda Guerra.

Notícias relacionadas

Links de internet relacionados

A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos de internet