Corpo encontrado na Itália pode ajudar a resolver assassinato na Grã-Bretanha

Elisa Claps (arquivo)
Image caption A adolescente Elisa Claps, de 16 anos, desapareceu em Potenza, em 1993

Um corpo encontrado na última quarta-feira na Itália e que seria de uma jovem que desapareceu em 1993 pode fornecer evidências para esclarecer um assassinato ocorrido na Grã-Bretanha nove anos depois, de acordo com a polícia britânica.

O corpo foi encontrado no telhado de uma igreja na cidade de Potenza, sul da Itália, onde a adolescente italiana Elisa Claps, de 16 anos na época, viveu até seu desaparecimento, há 17 anos, no dia 12 de setembro de 1993.

Operários que tentavam consertar um vazamento encontraram os restos emparedados no telhado da igreja. Os exames de DNA ainda estão sendo feitos para confirmar a identidade da vítima, mas um colar, relógio, sandálias e óculos encontrados no local pertenceriam a Claps.

A polícia britânica acredita que o caso possa estar relacionado ao assassinato de Heather Barnett, encontrada morta em sua casa na cidade britânica de Bournemouth em 2002.

Ela teria sido atingida na cabeça por um objeto parecido com um martelo e também teria sido esfaqueada. Em sua mão direita, foram encontradas mechas de cabelo que não eram dela.

Cabelos

Image caption Restos foram encontrados no telhado de igreja da cidade de Potenza

Alguns anos depois, após exames nas mechas e relatos de mulheres que foram vítimas de ataques em que seus cabelos foram cortados na Itália, os policiais britânicos passaram a suspeitar que o crime poderia ter ligações com o desaparecimento da adolescente italiana.

As autoridades suspeitam que possa haver um caso de “fetiche por cabelos” envolvendo as ocorrências e viajaram para a Itália em algumas ocasiões para investigar.

Os policiais britânicos afirmam que continuam em contato com a polícia italiana depois da descoberta dos restos no telhado da igreja.

Suspeito

Image caption Barnett foi encontrada morta em 2002 em Bournemouth

Um dos principais suspeitos nos dois casos é Danilo Restivo, que morava em Potenza quando Claps desapareceu e teria sido, de acordo com a polícia italiana, uma das últimas pessoas a ver a adolescente viva.

Restivo, que atualmente vive em Bournemouth, também foi interrogado pela polícia britânica na época do assassinato de Heather Barnett, que morava na mesma cidade.

Ele negou qualquer conhecimento sobre os casos.