Líder do Uruguai quer tratar dependentes de crack com trabalhos físicos

Image caption Mujica assumiu o governo do Uruguai no início do mês

O presidente do Uruguai, José ‘Pepe’ Mujica, propôs, em uma entrevista a um semanário local, que dependentes de crack sejam tratados com trabalhos físicos no país.

“É preciso isolar os viciados e fazer com que eles se cansem com instrução militar. Mas é preciso diferenciar serviço militar de instrução militar”, disse Mujica na edição dessa semana do jornal Búsqueda.

Segundo ele, instrução militar não significa “sair dando tiros por aí”, mas “realizar trabalhos físicos”.

Mujica defendeu que os dependentes sejam levados para áreas rurais do país ou que fiquem concentrados em locais onde possam receber o treinamento físico. O presidente, no entanto, não deu detalhes sobre como seria o treinamento.

Mujica disse que seu governo fará “algo de impacto” para reverter a situação dos dependentes.

‘Tolerância zero’

Em entrevista à rádio Expectador, de Montevidéu, o secretário da Junta Nacional de Drogas (JND), ligada ao governo, Milton Romani, disse que a proposta do presidente será “analisada”, mas afirmou que “é preciso oferecer várias alternativas de tratamento” para estes casos.

Romani disse ainda que o governo atual adotará “tolerância zero” contra o crack e outras drogas.

Ainda nesta quinta-feira, o deputado governista Víctor Semproni, da coalizão de centro-esquerda Frente Ampla, anunciou que apresentará um projeto de lei propondo tratamento com internação para dependentes de diversas drogas, inclusive álcool e tabaco.

Desde a posse do novo governo, em 1º de março, Mujica fez declarações que geraram polêmicas no país, como o anúncio do projeto que pretende dar à Justiça ferramentas para a libertação de presos com mais de 70 anos, inclusive os que são acusados de crimes durante a ditadura militar (1973-1985).

Leia mais: Mujica quer libertar militares idosos condenados por crimes da ditadura

Assessores de Mujica disseram à BBC Brasil que o líder uruguaio já defendia essas medidas polêmicas durante a campanha, mas reconheceram que depois que ele foi empossado, as declarações “têm outro impacto”.

Mujica deve fazer uma visita oficial ao Brasil no início da próxima semana, segundo a agenda oficial do presidente uruguaio.

Notícias relacionadas