Chineses são presos após descoberta de corpos de bebês em rio

Rio Guangfu
Image caption Corpos foram encontrados na beira do Rio Guangfu

Dois funcionários de um hospital universitário no leste da China foram presos depois que 21 corpos de bebês, alguns deles fetos, foram encontrados à beira de um rio, na província de Shandong (leste do país), informou a imprensa estatal chinesa.

As autoridades disseram que as famílias de alguns dos bebês pagaram Zhu Zhenyu e Wang Zhijun para lidar com os corpos, mas em vez de enterrá-los ou cremá-los, eles teriam desovado os cadáveres na margem do Rio Guangfu.

Segundo a imprensa estatal, além dos funcionários presos, três diretores do hospital foram suspensos ou demitidos por causa do incidente, em meio à revolta da opinião pública com o ocorrido.

Imagens de televisão mostraram vários corpos no chão, ao lado do rio, cobertos de lama, enquanto equipes de emergência realizavam buscas na área.

O morador local que encontrou os corpos disse que primeiro achou que fossem bonecas.

“Depois percebi que era real. Quando andei mais um pouco, encontrei outros corpos”, disse ele a repórteres.

As informações são de que oito dos corpos estariam usando pulseiras de identificação mostrando que eles vinham de um Hospital Afiliado à Universidade Médica de Jining. uma cidade de Shandong.

‘Impróprio’

Um porta-voz do governo de Jining, Gong Zhenhua, afirmou que os funcionários presos, que trabalham no necrotério do hospital, haviam “fechado acordos verbais em privado com parentes dos bebês mortos para dispor dos corpos, cobrando uma taxa”.

“Eles depois transportaram os corpos secretamente para o Rio Guangfu, mas não enterraram os corpos completamente”, disse o porta-voz, segundo a agência de notícias estatal Xinhua.

Segundo Gong, um diretor e um vice-diretor do hospital foram removidos de seus postos. Um vice-presidente foi suspenso, enquanto as autoridades investigam o caso.

Segundo ele, funcionários “violaram regulamentos e trataram de maneira imprópria” os corpos dos bebês.

“Isso expõe uma séria lacuna na administração do hospital e uma falta de ética e conhecimentos legais por parte de alguns funcionários”, disse ele.

Zhong Haitao, um alto oficial do departamento de saúde de Jining, afirmou que os corpos podem ser de fetos abortados, ou de bebês que morreram no hospital.

Os abortos são comuns na China, em parte por causa da política do filho único. A cremação pode ser tão cara que checa a ser proibitiva para famílias pobres.

Moradores locais se mostraram preocupados com os suprimentos de água potável, que poderiam ter ficado contaminados pelos corpos, mas as autoridades disseram que o rio não é fonte de água potável e não ficou contaminado.

Notícias relacionadas