Líderes afegãos criticam corrupção no governo em encontro com Karzai

Hamid Karzai
Image caption Hamid Karzai ouviu críticas duras de líderes tribais em Kandahar

Líderes tribais da cidade afegã de Kandahar criticaram duramente o presidente do país, Hamid Karzai, neste domingo devido a problemas de corrupção e segurança do seu governo.

Em uma visita rara à região, que é um reduto do Talebã, Karzai foi informado pelos líderes que poucas pessoas estão dispostas a entrar no Exército por medo de serem mortas pelos militantes.

Outros acusaram o presidente de não conseguir impedir subornos e nepotismos no governo.

Karzai está em Kandahar ao lado do general Stanley McChrystal, a maior autoridade militar americana no país, para tentar conseguir apoio local para as ações contra o Talebã.

Críticas e gritos

Ao contrário da ação anterior na região vizinha de Helmand, que começou com vários ataques militares, a prioridade da ofensiva em Kandahar é angariar apoio político ao governo, segundo a correspondente da BBC em Kandahar, Lyse Doucet.

No primeiro encontro das tribos, conhecido como shura, os líderes revezaram-se em um microfone para falar na assembleia, que teve cerca de 1,5 mil participantes. Muitos deles dirigiram palavras duras – por horas até gritando – contra Karzai.

"Diga-me o que está no seu coração", disse o presidente a um dos líderes.

"Eu não posso. Eu serei morto por terroristas", respondeu ele.

A principal reivindicação de muitos líderes é que eles não estão prontos para participar de qualquer ofensiva militar conduzida por tropas afegãs e por soldados da aliança militar Otan na região.

O presidente garantiu que nenhuma operação será iniciada sem o apoio dos líderes regionais e reconheceu que ele precisa consertar muitas coisas no governo ainda.

Segundo a correspondente da BBC, a mensagem passada pelos líderes tribais é de que o governo de Karzai pode ser um problema tão grande para os afegãos quanto o movimento Talebã.

Notícias relacionadas