Debate no Parlamento confronta adversários em eleições britânicas

Gordon Brown (esq.) e David Cameron se enfrentaram no Parlamento britânico
Image caption Gordon Brown e David Cameron se enfrentaram no Parlamento britânico

O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, e o candidato e líder do Partido Conservador, David Cameron, travaram nesta quarta-feira o último debate no Parlamento antes das eleições gerais marcadas para o dia 6 de maio.

Os dois entraram em choque em questões ligadas à economia do país. Cameron afirmou que as políticas do Partido Trabalhista, de Brown, ameaçam a economia - incluindo a proposta de aumentar as contribuições para a previdência social britânica a partir de abril de 2011.

"Este primeiro-ministro vai arruinar a recuperação (econômica) ao estabelecer um imposto em cada emprego, para cada um que ganhe mais de 20 mil libras, um imposto para aspirações, um imposto para cada negócio do país", afirmou.

Brown, por sua vez, disse que o aumento das contribuições para a previdência social vai significar que escolas, a polícia e o sistema público de saúde receberão mais verbas.

Uma série de empresários britânicos já declarou apoio à proposta do Partido Conservador de cancelar a maior parte do aumento das contribuições.

O editor de negócios da BBC, Robert Peston, afirma que a discussão em torno do aumento das contribuições para a previdência social representa "uma diferença ideológica" entre os dois principais partidos.

De acordo com Peston, o Partido Trabalhista quer aumentar as contribuições para pagar pelos serviços públicos, enquanto os conservadores querem reduzir o tamanho do Estado.

Reforma política

A polêmica em torno do aumento das contribuições para a previdência social ocorre em um momento em que os dois principais partidos defendem também seus planos para reformas políticas no país, incluindo mudanças no sistema de votação - um assunto que está sendo cada vez mais discutido, depois de escândalos envolvendo parlamentares britânicos.

Os escândalos levaram o Partido Trabalhista britânico a suspender, em fevereiro, três de seus parlamentares acusados de crime de desvio de dinheiro público.

Nick Clegg, líder do Partido Liberal Democrata, que aparece como a terceira força nas eleições britânicas, acusou os dois partidos de "tentar enganar as pessoas, falando que estão encarando com seriedade a reforma política".

Brown por sua vez, destacou seus planos de realizar dois referendos: um sobre a mudança no sistema de votação britânico e outro para reformar a Câmara dos Lordes, caso os trabalhistas vençam as eleições.

O atual primeiro-ministro também prometeu introduzir medidas que deem aos eleitores o direito de fazer um "recall" de parlamentares envolvidos em atos de "má conduta financeira" antes de uma eleição geral, que proíbam os parlamentares de fazer lobby e que os obriguem a ter aprovação de um órgão independente para atividades fora do Parlamento.

As propostas de mudanças - que, segundo Brown, são as "mais amplas" dos últimos cem anos - foram interpretadas por alguns como uma tentativa de conquistar os liberais-democratas.

Os conservadores, por sua vez, acusam o Partido Trabalhista de "remendar" o sistema eleitoral para obter vantagens e acrescentam que o que os britânicos querem é menos parlamentares, e ministros, e o direito de retirar da vida política os parlamentares corruptos.

Notícias relacionadas