Guarda costeira dos EUA busca 11 desaparecidos depois de explosão de plataforma

Barcos combatem incêndio na Deepwater Horizon (AP)
Image caption Barcos combatem incêndio na Deepwater Horizon

A Guarda Costeira americana está realizando buscas no Golfo do México para tentar encontrar pelo menos 11 funcionários de uma plataforma de petróleo a mais de 80 quilômetros da costa do Estado da Louisiana, que explodiu na noite de terça-feira.

A plataforma ainda estava em chamas horas depois da explosão. De acordo com a Guarda Costeira o número de desaparecidos pode variar entre 11 e 15 pessoas, outros sete funcionários ficaram feridos e foram levados de helicópteros para hospitais da região do porto de Venice, na Louisiana.

Um porta-voz da Guarda Costeira, Mike O'Berry, afirmou que quatro helicópteros, quatro barcos e um avião estão ajudando nas operações de buscas.

"Esperamos que todos (os desaparecidos) estejam em um bote salva-vidas", disse.

Dezessete dos 176 funcionários da plataforma foram retirados pelo mar e pelo ar na quarta-feira. Outros 98 foram resgatados por barco da plataforma Deepwater Horizon.

A Deepwater Horizon estaria enfrentando temperaturas altíssimas e já estaria inclinada, ameaçando afundar.

A plataforma é operada pela empreiteira baseada na Suíça, a Transocean, que informou em uma declaração que não havia sinais de problemas antes da explosão na terça-feira e seus funcionários faziam trabalhos de rotina.

Um porta-voz da empresa, Greg Panagos, afirmou que a plataforma estava envolvida em operações de perfuração, mas ainda não estava produzindo petróleo. A causa da explosão ainda não foi esclarecida.

"Nosso objetivo agora é cuidar das pessoas", disse Panagos.

Combate ao incêndio

Barcos ainda estão combatendo o incêndio na plataforma.

A Deepwater Horizon fazia perfurações a 1,5 mil metros de profundidade na água.

Construída em 2001 pela montadora sul-coreana Hyundai, a plataforma tem 120 metros de comprimento e 78 metros de largura, de acordo com a Transocean.

A Deepwater Horizon é uma plataforma do tipo semissubmersa, que flutua acima de um local de perfuração e não toca o fundo do mar.

Esta plataforma consegue operar a até 2,4 mil metros de profundidade na água e já estabeleceu um recorde mundial em setembro de 2009 ao perfurar o mais profundo poço de petróleo e gás, a 10.685 metros, no Golfo do México.