Castro e Hu Jintao estão entre 'predadores' da liberdade, diz Repórteres Sem Fronteiras

Raúl Castro
Image caption Cuba é um dos países que mais enviam jornalistas à prisão

A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) citou o presidente de Cuba, Raúl Castro, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e os cartéis de drogas do México como alguns dos maiores violadores da liberdade de imprensa no mundo no último ano.

Em relatório divulgado neste domingo, a organização colocou o México como um dos países mais perigosos para os jornalistas trabalharem, onde 62 profissionais foram mortos na última década.

China, Irã e Cuba foram listados, nesta ordem, como os países que mais enviaram jornalistas para a prisão.

Na lista do que chamou de "Predadores da Liberdade de Imprensa", o RSF incluiu ainda os presidentes de China, Mianmar e da Coreia do Norte.

Além de autoridades e membros de governos, a entidade nomeou ainda grupos militantes e organizações criminosas como sendo responsáveis por ameaças e agressões a jornalistas.

Entre eles estão o grupo separatista basco ETA, gangues de crime organizado da Itália, o grupo palestino Hamas, milícias da Somália e as forças israelenses.

O RSF espera que a lista atraia a atenção internacional para os nomes citados.

Notícias relacionadas

Links de internet relacionados

A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos de internet