Romário leva Brasil ao tetra em 1994 nos EUA

Image caption Esquema defensivo da "Era Dunga" deu o tetra ao Brasil

O Brasil encerrou nos EUA em 1994 o seu jejum de títulos, na primeira final de Copa sem gols. O tempo normal e a prorrogação da decisão com os italianos terminaram 0 a 0. Nos pênaltis, uma cobrança para fora de Baggio deu o tetra aos brasileiros.

Ao realizar a Copa do Mundo nos Estados Unidos, a Fifa tentava consolidar o futebol no grande mercado do país, onde o esporte era visto mais como uma atividade feminina do que masculina.

A iniciativa da Fifa em 1994 não deixou de dar resultados. A Copa daquele ano teve a maior média de público até então: 70 mil pessoas.

Cerca de 3 bilhões de torcedores acompanharam o torneio no mundo inteiro pela TV. O futebol, ou “soccer”, era o esporte global.

Brasil defensivo

O técnico Carlos Alberto Parreira comandou a Seleção Brasileira em 1994. Como coordenador técnico, Zagallo voltava à Seleção. Os dois fizeram parte da comissão técnica do Brasil de 70.

O time brasileiro de 94 preocupava-se primeiro em não tomar gols para depois fazê-los. A dupla de desarmadores Dunga e Mauro Silva era presença inquestionável no meio-de-campo da Seleção de Parreira.

A filosofia de jogo provocava reações distintas. Parte da imprensa e da torcida cobrava um estilo de jogo mais técnico e ofensivo. A outra parte apoiava Parreira, com o argumento de que era melhor jogar feio e ganhar do que bonito e perder.

Não houve como negar que a defesa montada por Parreira funcionou. Em sete jogos, o Brasil tomou três gols. Se o setor defensivo era sólido, o Brasil tinha no ataque a sua estrela e o destaque da Copa, Romário.

Ele não era um atacante do tipo driblador ou maestro do time, mas, dentro da área, o raciocínio rápido, a velocidade e o senso de colocação de Romário fizeram a diferença para o Brasil.

A importância dele para a Seleção ficou clara logo no primeiro tempo da estréia, contra a Rússia. Romário abriu o placar numa cobrança de escanteio, no meio dos grandalhões russos, ao se antecipar no cruzamento.

Na primeira fase do Mundial, entretanto, a atenção do mundo recaiu sobre o craque argentino Diego Maradona. Um exame antidoping detectou que o jogador usara substâncias proibidas. Maradona foi afastado da Copa.

No caminho até a final, a Seleção Brasileira passou pelos donos da casa, os americanos, no Dia da Independência deles, 4 de julho. O jogo foi duro, e a vitória magra: 1 a 0, gol de Bebeto.

Nas quartas-de-final, contra a Holanda, os brasileiros tiveram a sua partida mais emocionante no Mundial. Venceram por 3 a 2. O gol da vitória veio aos dez minutos do fim, uma bomba do veterano Branco, em cobrança de falta.

O Brasil reencontrou a Suécia na semifinal. Na primeira fase, os dois times empataram em 1 a 1. Agora, os brasileiros venceram por 1 a 0, gol de Romário, de cabeça, entre os defensores suecos.

A final contra a Itália foi um jogo trancado, com poucas chances de gol. Os torcedores não tiveram oportunidade de comemorar um gol sequer. O zero a zero levou a decisão para a cobrança de pênaltis.

Image caption Taffarel foi fundamental na decisão por pênaltis

Romário levou a melhor sobre o craque italiano, Roberto Baggio.

Decisivo para a Itália durante toda a campanha, Baggio perdeu o pênalti que deu ao Brasil o título 24 anos depois do último triunfo.

A Copa de 94 passou para a história dos Mundiais: foi a primeira a ser disputada nos Estados Unidos e a primeira a ser decidida em uma disputa de pênaltis.

Grupo 1

Estados Unidos 1 x 1 Suíça Romênia 3 x 1 Colômbia Suíça 4 x 1 Romênia Estados Unidos 2 x 1 Colômbia Romênia 1 x 0 Estados Unidos Colômbia 2 x 0 Suíça

Grupo 2

Camarões 2 x 2 Suécia Brasil 2 x 0 Rússia Suécia 3 x 1 Rússia Brasil 3 x 0 Camarões Brasil 1 x 1 Suécia Rússia 6 x 1 Camarões

Grupo 3

Alemanha 1 x 0 Bolívia Espanha 2 x 2 Coréia do Sul Alemanha 1 x 1 Espanha Coréia do Sul 0 x 0 Bolívia Espanha 3 x 1 Bolívia Alemanha 3 x 2 Coréia do Sul

Grupo 4

Argentina 4 x 0 Grécia Nigéria 3 x 0 Bulgária Argentina 2 x 1 Nigéria Bulgária 4 x 0 Grécia Nigéria 2 x 0 Grécia Bulgária 2 x 0 Argentina

Grupo 5

Irlanda 1 x 0 Itália Noruega 1 x 0 México Itália 1 x 0 Noruega México 2 x 1 Irlanda Irlanda 0 x 0 Noruega Itália 1 x 1 México

Grupo 6

Bélgica 1 x 0 Marrocos Holanda 2 x 1 Arábia Saudita Arábia Saudita 2 x 1 Marrocos Bélgica 1 x 0 Holanda Holanda 2 x 1 Marrocos Arábia Saudita 1 x 0 Bélgica

Oitavas-de-final

Alemanha 3 x 2 Bélgica Espanha 3 x 0 Suíça Suécia 3 x 1 Arábia Saudita Romênia 3 x 2 Argentina Holanda 2 x 0 Irlanda Brasil 1 x 0 Estados Unidos Itália 2 x 1 Nigéria Bulgária 1 x 1 México (Bulgária venceu nos pênaltis: 3 X 1)

Quartas-de-final

Itália 2 x 1 Espanha Brasil 3 x 2 Holanda Bulgária 2 x 1 Alemanha Suécia 2 x 2 Romênia (Suécia venceu nos pênaltis: 5 X 4)

Semifinais

Brasil 1 x 0 Suécia Itália 2 x 1 Bulgária

Disputa do terceiro lugar

Suécia 4 x 0 Bulgária

Final

Brasil 0 x 0 Itália (Brasil venceu nos pênaltis: 3 X 2)