Incertezas na Grécia e na Grã-Bretanha mantêm bolsas em baixa

Bolsa de NY
Image caption Analistas estão preocupados com situação política britânica

As principais bolsas de valores fecharam esta sexta-feira em baixa, refletindo a preocupação dos investidores com a crise na Grécia, a incerteza quanto ao futuro político da Grã-Bretanha e a possível dificuldade que um novo governo britânico poderá ter para reduzir o déficit no orçamento.

A maior queda foi registrada na França, onde o índice Cac 40 encerrou o pregão em queda de 4,60%. Ainda na Europa, o índice FTSE 100 da bolsa de Londres fechou o dia em baixa de 2,62% após o anúncio do resultado das eleições gerais do país. Na Alemanha, o Dax da bolsa de Frankfurt fechou em -3,27%.

As incertezas afetaram ainda as bolsas em Wall Street. Em Nova York, o índice Dow Jones fechou em baixa de 1.33%, enquanto o índice Nasdaq encerrou o pregão em queda de 2,33%.

Seguindo a tendência internacional, o índice Bovespa, de São Paulo, fechou o dia em baixa de 0.86%, depois de operar em baixa de 6,4% durante o dia.

Grã-Bretanha

Em Londres, os maiores perdedores do dia foram os bancos britânicos, com o Royal Bank of Scotland e o Lloyds despencando 9% e o Barclays, 8%.

Apesar disso, a agência de classificação de riscos Moody's afirmou que o resultado não deve afetar os níveis de crédito do país.

Segundo os economistas da agência, a expectativa é que o novo governo seja capaz de "reunir apoio parlamentar convincente para um ajuste fiscal que não seja mais frouxo nem mais lento do que aquilo que foi proposto por todos os três partidos políticos".

A Standard & Poor's também afirmou não ter intenção de mudar a classificação da Grã-Bretanha por causa do resultado eleitoral.

Apesar de a Grã-Bretanha ter uma dívida menor do que a Grécia, seu déficit orçamentário é tão grande quando o grego.

Notícias relacionadas