Pai de ex-capitão da seleção inglesa admite tráfico de cocaína

John Terry durante jogo do Chelsea
Image caption Terry já havia perdido posto de capitão após escândalo em fevereiro

O pai do jogador John Terry, ex-capitão da seleção inglesa de futebol, admitiu nesta quinta-feira à Justiça britânica ter traficado cocaína.

Edward Terry, de 56 anos, foi flagrado vendendo a droga em um bar no ano passado a um repórter disfarçado.

O advogado de Terry, Neil Saunders, disse que ele se tornou “alvo” dos jornalistas por ser pai do jogador do Chelsea.

Saunders afirmou que seu cliente ficou “envergonhado” por causa dos problemas que o incidente criou para seu filho.

O promotor Ricky Khagram afirmou que Edward Terry forneceu drogas para o repórter Dan Sanderson, do tablóide dominical News of the World, em troca de 160 libras (cerca de R$ 425).

Ele foi liberado sob fiança, e deverá receber sua sentença no dia 1º de junho.

Escândalo

A confissão de tráfico pelo pai é mais um revés para John Terry, que perdeu seu posto de capitão na seleção inglesa após um escândalo sexual, em fevereiro.

O jogador, que é casado e tem dois filhos, teria se envolvido com a namorada de um colega de seleção.

No ano passado, a mãe e a sogra de Terry foram processadas por roubar mercadorias em um supermercado.

Notícias relacionadas