EUA anunciam acordo no Conselho da ONU para sanções contra Irã

A secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton
Image caption Hillary disse que o esboço será divulgado nesta terça na ONU

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, disse nesta terça-feira que os países do Conselho de Segurança da ONU chegaram a um acordo sobre uma proposta de resolução prevendo novas sanções contra o Irã.

O anúncio de Hillary foi feito um dia depois da divulgação do acordo mediado pelo Brasil e pela Turquia que estabelece o envio de urânio do Irã para fora do país e sua troca por combustível nuclear.

Falando a um comitê do Senado americano, a secretária de Estado disse que alcançou um entendimento especificamente com China e Rússia – países do Conselho de Segurança que mostravam maior resistência à possibilidade de sanções.

“Hoje tenho o prazer de anunciar que este comitê chegou a um acordo a respeito de um forte esboço com a cooperação da Rússia e da China", disse a secretária de Estado.

“Este anúncio é a resposta mais convincente aos esforços ocorridos em Teerã nos últimos dias que poderíamos dar. Existem questões que não foram respondidas sobre o anúncio feito em Teerã.”

“Enquanto reconhecemos os esforços sinceros da Turquia e do Brasil para encontrar uma solução para a disputa iraniana com a comunidade internacional sobre seu programa nuclear, estamos preparados para apelar à comunidade internacional por uma resolução com sanções mais fortes que vai, sob nossa ótica, enviar uma mensagem clara a respeito do que esperamos do Irã”, completou.

Debate na ONU

A secretária de Estado disse que o texto circularia ainda nesta terça-feira entre os 15 países-membros do Conselho de Segurança da ONU, grupo que inclui Brasil e Turquia.

Fontes diplomáticas afirmam esperar que a reunião tenha início às 16h (horário local, 17h de Brasília).

Países ocidentais liderados por Estados Unidos e a União Europeia acusam o Irã de usar seu programa nuclear como fachada para a fabricação de armas, alegação negada por Teerã, que afirma que o programa tem fins pacíficos.

Na segunda-feira, o governo iraniano assinou um acordo, mediado por Brasil e Turquia, no qual o Irã concorda em enviar urânio para ser enriquecido no exterior, recebendo em troca combustível nuclear.

Mas no mesmo dia o governo iraniano disse que continuará a enriquecer urânio, o que fez com que parte da comunidade internacional respondesse com ceticismo ao anúncio do acordo.

O governo brasileiro sustenta que, com esse acordo nuclear, não seria necessário aprovar novas sanções na ONU.