Obama nomeia comissão para investigar vazamento de óleo

Mancha de óleo
Image caption Vazamento começou há mais de um mês

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, nomeou dois políticos veteranos para liderar a comissão independente que vai investigar o vazamento de petróleo no Golfo do México, em meio às críticas à resposta do governo ao acidente.

O ex-senador democrata Bob Graham e o ex-chefe da Agência de Proteção Ambiental republicano William Reilly vão liderar a comissão.

Obama afirmou que quer ter certeza de que outro acidente como este jamais volte a ocorrer.

A comissão terá seis meses para preparar seu relatório.

Depois das críticas, o governo dos Estados Unidos se viu obrigado a defender a forma como lidou com o vazamento.

Responsabilidade

O vazamento de petróleo começou mais de um mês atrás, quando uma plataforma de petróleo alugada pela BP explodiu, causando a morte de 11 pessoas e vazando milhões de litros de petróleo no oceano.

A mancha já atingiu a Louisiana e ameaça a costa da Flórida e de Cuba.

Até agora, a BP tem sido responsabilizada pelo público pelo vazamento, mas segundo analistas, aumenta também a raiva contra o governo.

Em seu pronunciamento semanal feito pelo rádio e internet, o presidente Obama ressaltou que nenhum funcionário do governo ou membro eleito iria participar da comissão de sete pessoas. Os outros cinco integrantes ainda não foram anunciados.

Reilly liderou a Agência de Proteção Ambiental durante o governo do presidente George Bush Sênior, enquanto Graham serviu ao Senado entre 1987 e 2005.

“O propósito desta comissão é considerar tanto as causas do desastre como oferecer opções sobre que precauções ambientais e de segurança devemos tomar para evitar que um desastre semelhante volte a acontecer”, disse o presidente.

Obama afirmou que o governo está fazendo tudo para ajudar os pescadores e outros negócios e comunidades afetados pelo vazamento.

Mas ele afirmou que o painel também vai investigar se algo mais poderia ter sido feito para evitar o acidente.

“Mesmo enquanto continuamos a responsabilizar a BP, também temos que responsabilizar Washington.”

Obama também rejeitou pedidos para suspender seu programa de expansão da exploração de petróleo no mar, depois do vazamento.

“O Golfo do México pode desempenhar importante papel em assegurar nossa energia no futuro”, disse ele, antes de acrescentar: “Só poderemos buscar a exploração no mar se tivermos garantias de que desastres como o vazamento da plataforma da BP não vão voltar a ocorrer”.

Notícias relacionadas