Acordo mediado por Brasil e Turquia será entregue à AIEA

Instalação nuclear de Bushehr, no Irã
Image caption Irã alega que seu programa nuclear tem fins pacíficos

Uma autoridade do governo do Irã afirmou que o acordo aprovado pelo país com a mediação do Brasil e da Turquia será entregue na sede da agência nuclear da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta segunda-feira.

Em uma entrevista, o assistente do diretor da Agência Nuclear Iraniana, Bahzad Soltani, afirmou que o país vai entregar na segunda-feira à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) em Viena, na Áustria, uma carta que descreve os detalhes do acordo fechado na semana passada em Teerã.

Na segunda-feira, os três países anunciaram uma proposta de acordo que prevê o envio de 1.200 quilos de urânio iraniano enriquecido a 3,5% à Turquia. Em troca, o Irã receberia o urânio já enriquecido a 20%, para fins medicinais.

Soltani afirmou que a entrega será feita pela manhã pela "primeira ou segunda autoridade na delegação iraniana, junto com as delegações do Brasil e da Turquia", diretamente para o diretor da AIEA.

Soltani afirmou ainda que os países ocidentais precisam aceitar o acordo fechado em Teerã e "aproveitar a oportunidade". Aceitar o acordo, segundo Soltani, iria abrir a porta para o uso pacífico da energia nuclear por todos.

Na terça-feira, um dia após o anúncio do acordo, os EUA circularam um esboço de resolução entre os países do Conselho de Segurança da ONU, pedindo uma quarta rodada de sanções econômicas e diplomáticas devido ao programa nuclear do Irã.

Image caption Larijani afirma que, com aprovação de sanções, acordo pode ser deixado de lado

Analistas acreditam que, dos 15 países integrantes do órgão da ONU, apenas três, Brasil, Turquia e Líbano, todos com assentos temporários, não aprovariam a resolução com as sanções.

Ameaça

O Irã ameaçou rever seus laços com a AIEA se o Conselho de Segurança aprovar as novas sanções contra o país.

O presidente da Assembleia Consultiva Islâmica, Ali Larijani, acusou os Estados Unidos de ignorar o acordo fechado em Teerã, com a mediação do Brasil e da Turquia.

Em um discurso transmitido pela televisão estatal iraniana, Larijani afirmou que as ações americanas poderão fazer com que o Irã abandone o acordo.

"Isto iria estragar todos os esforços feitos pela Turquia e pelo Brasil e isto (o acordo) poderia ser deixado de lado, completamente."

"E, nestas circunstâncias, o Parlamento iraniano vai tomar outras medidas no sentido do nível de cooperação entre o Irã e a AIEA", acrescentou.

Notícias relacionadas