Moças são encontradas nuas e algemadas em porão na China

A polícia de Wuhan, na região central da China, libertou duas adolescentes que tinham estavam algemadas em um porão há quase um ano, de acordo com a imprensa chinesa.

As moças, de 16 anos e 19 anos, foram encontradas nuas na casa depois que um técnico em eletrônica encontrou um bilhete deixado por elas dentro de uma televisão com defeito.

O suspeito do crime, Zeng Xiangbao, de 39 anos, já estava preso há quase uma semana por suspeita de estupro em um caso isolado.

A polícia ainda não teria confirmado se as moças encontradas no porão também sofreram abusos sexuais.

De acordo com o canal de televisão Beijing News, as adolescentes foram encontradas em uma casa de dois quartos em Wuhan, na província de Hubei.

A moça de 19 anos estava desaparecida desde julho do ano passado e morava a apenas 200 metros da casa em que ficou presa.

'Socorro'

O tio de uma das vítimas afirmou que ambas sobreviveram à base de macarrão instantâneo e teriam morrido de fome, caso não tivessem sido encontradas, já que o dono da casa tinha sido preso.

O resgate só foi possível graças a um bilhete de socorro, escondido em uma TV com defeito.

"Socorro! Estamos presas em um porão por mais de um ano", dizia a nota, que trazia também uma desenho da planta do local e o telefone do pai da moça de 19 anos.

Um amigo do técnico em eletrônica ligou para o pai, e a polícia foi alertada.

Depois de uma operação de varredura na região, investigadores acabaram encontrando o quarto subterrâneo, escondido sob tábuas e terra.

Zeng, o suspeito de aprisionar as moças, morava na casa com sua mãe de 70 anos, mas tinha sido preso por suspeita de estupro uma semana antes.

Zeng se divorciou no ano passado e foi descrito como um homem tranquilo, que trabalhava em uma olaria próxima, segundo o jornal South China Morning Post.

As meninas haviam deixado notas em embalagens usadas de macarrão instantâneo e de pão, mas nenhuma delas foi encontrada.

Notícias relacionadas