Agência de risco reduz classificação da dívida da Espanha

Funcionários públicos da Espanha protestaram contra cortes de salário em frente ao Ministério das Finanças
Image caption Plano de austeridade do governo Espanhol tem gerado protestos

A agência de classificação de risco Fitch rebaixou nesta sexta-feira a classificação da dívida da Espanha de AAA para AA+.

A mudança reflete a avaliação da agência de que o crescimento econômico do país deve ser menor do que as previsões oficiais e de que o governo espanhol terá dificuldades para implementar um plano de corte de gastos.

Em abril, outra agência de classificação, a Standard & Poor's, rebaixou a nota do país de AA+ para AA.

Apesar de a Espanha ainda figurar entre os países considerados bons pagadores, com grau de investimento, a agência entendeu que o país "deve passar por um período longo de crescimento menor, o que enfraquece seu orçamento", e cogita rebaixar ainda mais sua nota.

Não pagamento

De acordo com o comentarista de economia da BBC Andrew Walker, este último corte na classificação não significa que a Fitch acredita que a Espanha não vai pagar suas dívidas, pois a nota AA+ ainda significa risco muito baixo disso acontecer.

Contudo, a nova classificação sugere que o risco é mais alto do que era até agora. A Fitch acredita que a economia da Espanha deve ficar ainda mais fraca do que o governo previa, o que significa menos arrecadação de impostos.

E a agência também prevê que o governo terá dificuldades em implementar os planos de cortes de gastos, especialmente devido à influência dos governos regionais.

Walker acrescenta que o corte na classificação de risco de crédito também pode levar a taxas de juros mais altas, pois os órgãos de crédito vão querer compensar o aumento dos riscos.

Cortes anteriores na classificação de risco de outros países da zona do euro contribuíram para a turbulência no mercado financeiro.

Desta vez, segundo Walker, não foi diferente, com quedas registradas no euro e nas bolsas em Nova York depois do anúncio da Fitch.

Na Europa, os pregões já haviam sido encerrados quando foi feito o anúncio.

Na quinta-feira, o governo espanhol conseguiu aprovar no Parlamento por apenas um voto de diferença o pacote de medidas que prevê profundos cortes nos gastos públicos.

Leia mais na BBC Brasil: Parlamento espanhol aprova corte de gastos de 15 bi de euros

Notícias relacionadas