Família de Jean Charles protesta contra honraria dada a ex-chefe de polícia britânico

Ian Blair (arquivo)
Image caption Ian Blair foi criticado pela morte de Jean Charles de Menezes, em 2005

A família de Jean Charles de Menezes, morto em Londres pela polícia em 2005 depois de ser confundido com um terrorista, criticou a nomeação de Ian Blair, ex-chefe da polícia britânica à época da morte, para a Câmara dos Lordes.

A prima de Jean Charles, Vivian Figueiredo, que morava com Jean Charles na época de sua morte, declarou que a família está "enojada com a decisão".

"Como comissário (da polícia), acreditamos que Ian Blair é responsável pela morte de Jean, pelas mentiras que foram ditas e pelo acobertamento. Ele até mesmo tentou parar a investigação do IPCC (Comissão Independente de Queixas contra a Polícia) sobre a morte de nosso primo."

"Este é o último tapa na cara de nossa família", acrescentou Figueiredo.

O eletricista de 27 anos foi morto a tiros dentro de um vagão do metrô de Londres em 22 de julho de 2005.

Jean Charles levou sete tiros na cabeça após ser confundido pela polícia com um suposto terrorista que havia participado de um ataque frustrado à rede de transportes da capital britânica no dia anterior.

A morte dele desencadeou uma série de inquéritos que investigou as táticas da polícia, a supervisão dos policiais e decisões individuais tomadas no dia de sua morte. A investigação também ouviu Ian Blair.

Homenagem

Ian Blair faz parte de uma lista de indicados para a Câmara dos Lordes britânica. Esta lista é feita no final do mandato de cada Parlamento, para permitir que o primeiro-ministro que está deixando o cargo recompense seus colegas.

Blair reagiu à sua nomeação para a Câmara dos Lordes afirmando que ela foi uma "homenagem" aos membros da Polícia Metropolitana.

"Espero que isto seja visto, primeiramente, como uma homenagem aos homens e mulheres da Polícia Metropolitana, que eu tive a honra de comandar", afirmou.

"Estou ansioso para participar do trabalho na Câmara dos Lordes no futuro", acrescentou.

Blair renunciou ao cargo em 2008, alegando diferenças com o prefeito de Londres, Boris Johnson.

Desde que entrou para a polícia, em 1974, Blair conseguiu subir na hierarquia da organização até chegar ao cargo de chefe da Polícia Metropolitana em fevereiro de 2005.

Ele foi elogiado por introduzir reformas na organização, incluindo a introdução dos policiais de apoio à comunidade, que policiavam bairros, e também de uma nova estratégia depois dos atentados de julho de 2005 em Londres.

Outra homenagem

No final de 2009, outra homenagem a policiais que estavam trabalhando na operação que resultou na morte de Jean Charles de Menezes gerou protestos da família do brasileiro.

Em dezembro de 2009, a policial que comandou a operação, Cressida Dick, foi condecorada pela rainha Elizabeth 2ª por seu trabalho "de distinção" na Polícia Metropolitana de Londres.

Na ocasião, a família de Jean Charles em Londres se disse "decepcionada" com a condecoração dada a Dick.

Notícias relacionadas