Funil está recolhendo um terço do petróleo vazado no Golfo

Funil
Image caption Funil foi colocado na sexta-feira

O funil especial colocado sobre o vazamento de petróleo no Golfo do México, que desvia o fluxo de óleo para navios na superfície, parece estar obtendo algum resultado e recolhendo entre um terço e metade do petróleo vazado diariamente, informou neste sábado a Guarda Costeira americana.

Segundo o almirante Thad Allen, cerca de 6.000 barris de petróleo foram recuperados nas primeiras 24 horas após a colocação do funil.

O vazamento começou no Golfo do México no último dia 20 de abril, depois que uma explosão destruiu a plataforma Deepwater Horizon, causando a morte de 11 trabalhadores.

Segundo o almirante Allen, a BP, operadora da plataforma, espera aumentar a quantidade de petróleo recuperada pelo funil nos próximos dias.

Falando em Theodore, Alabama, Allen disse esperar que o sistema consiga recuperar ainda mais do petróleo vazado nos próximos dias, depois que sejam fechadas algumas válvulas no oleoduto, quando os engenheiros conseguirem estabilizar a pressão.

Maior desastre

Em sua página no site de microblogs Twitter, a BP anunciou ter coletado 6.077 barris de petróleo na sexta-feira.

O número é superior às estimativas iniciais, de que a tampa só conseguiria recuperar o equivalente a mil barris por dia.

A BP havia ressaltado que este procedimento nunca fora tentado nesta profundidade e que não há garantia de sucesso.

O almirante Allen informou ainda que os ventos empurraram a mancha de óleo para cerca de 320 quilômetros da costa, desde a fronteira entre os Estados de Mississipi e Alabama, até o noroeste da Flórida.

Tanto a BP como o governo americano vêm sendo criticados por causa do vazamento, descrito como o maior desastre ambiental da história dos Estados Unidos.

Em seu pronunciamento semanal neste sábado, o presidente Barack Obama prometeu usar todos os recursos ao seu alcance para limpar a costa e ajudar aqueles cujas vidas foram afetadas pelo vazamento.

Obama disse ainda que vai garantir que a BP seja responsabilizada financeiramente pelo vazamento e pague “cada centavo” do que deve.

Na sexta-feira, em sua terceira visita à região desde que começou o vazamento, Obama se reuniu com moradores de Louisiana.

As estimativas são de que a quantidade de petróleo vazado no mar desde abril varie entre 80 milhões e 180 milhões de litros.

Notícias relacionadas