Coreia do Sul instala alto-falantes na fronteira com Coreia do Norte

Soldado sul-coreano vigia fronteira em Gangneung, perto de Seul
Image caption Tensão entre Coreias aumentou com afundamento de navio em março

A Coreia do Sul finalizou nesta quarta-feira a instalação de alto-falantes na fronteira com a Coreia do Norte para a transmissão de propaganda para o país comunista.

De acordo com a agência de notícias sul-coreana Yonhap, um militar sul-coreano informou que ainda não foi decidido quando o sul vai iniciar a transmissão de propagandas.

Os militares sul-coreanos estão instalando os aparelhos na fronteira desde o final de maio como parte das medidas de punição do governo contra a Coreia do Norte pelo naufrágio do navio de guerra sul-coreano em março.

"O trabalho para estabelecer os alto-falantes em 11 áreas da fronteira foi concluído hoje (quarta-feira), e ainda será decidido se haverá mais instalações ou quando serão retomadas as transmissões de propagandas", afirmou um oficial, que não se identificou, para a Yonhap.

De acordo com a autoridade não foi detectado nenhum movimento nos postos da guarda da Coreia do Norte, perto de onde os amplificadores foram instalados.

Navio afundado

A tensão na fronteira entre os dois países vem aumentando, principalmente depois que uma investigação internacional concluiu que a culpa pelo afundamento em março do navio de guerra sul-coreano Cheonan, que matou 46 marinheiros sul-coreanos, é dos norte-coreanos, que negam as alegações.

Além de negar responsabilidade pelo afundamento, a Coreia do Norte ameaçou derrubar os alto-falantes se o governo sul-coreano iniciar as transmissões de propaganda.

A Coreia do Sul, por sua vez, entregou na sexta-feira à ONU uma carta em que pediu que o Conselho de Segurança da entidade adote alguma medida no caso do navio afundado.

Leia mais na BBC Brasil: Seul denuncia Coreia do Norte à ONU por navio afundado

As duas Coreias suspenderam em 2004 décadas de propaganda de guerra, quando suas relações melhoraram depois da primeira reunião entre seus líderes, em 2000.

Notícias relacionadas