Paquistão

Ataque a comboio da Otan mata sete no Paquistão

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

Um comboio da Organização dos Países do Tratado do Atlântico Norte (Otan) foi atacado na noite de terça-feira a cerca de 10 quilômetros da capital, Islamabad, matando pelo menos sete pessoas e incendiando vários veículos.

Mais de uma dezena de militantes abriram fogo contra o comboio, incendiando 50 caminhões e destruindo equipamentos para as tropas aliadas no Afeganistão que valiam milhões de dólares.

“O ataque foi realizado às 23h35 no horário local (às 13h35, no horário de Brasília) e nós ainda estamos tentando descobrir como ele ocorreu”, afirmou Shah Nawaz, chefe da delegacia de polícia de Tarnol, cidade em que os caminhões estavam estacionados - em um depósito na beira de uma estrada - quando ocorreu o ataque.

“Os homens armados entraram no depósito a pé e começaram a atirar”, disse Nawaz.

Kalim Iman, inspetor-geral de polícia de Islamabad, disse que a polícia está procurando os supostos militantes, que fugiram em dois carros e em motos para dentro de uma floresta nas proximidades do ataque.

Além de causar sete mortos, o ataque deixou quatro feridos, segundo a polícia. Acredita-se que a maioria das vítimas eram motoristas dos caminhões.

Um oficial da polícia responsável pela área onde o ataque ocorreu foi suspendido por possível negligência.

Cerca de 75% dos mantimentos necessários para os 130 mil soldados liderados pelos Estados Unidos no Afeganistão são transportados por terra desde o porto paquistanês de Karachi.

Os constantes ataques obrigaram a Otan e as forças americanas a estudar rotas alternativas, principalmente pela Ásia Central, para garantir o suprimento das tropas.

O correspondente da BBC no Paquistão Ilyas Khan disse que o ataque é o mais ousado realizado por militantes nos arredores de Islamabad, apesar de comboios da Otan serem constantemente atacados desde 2008 no Baloquistão e nas cidades de Karachi e Peshawar, locais mais próximos à fronteira com o Afeganistão.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.