Maradona diz que vai poupar Verón contra Coreia do Sul

Maradona e Verón
Image caption O veterano meia é peça-chave no time de Maradona

A Argentina deve entrar em campo nesta quinta-feira às 13h30 (horário da África do Sul, 8h30 de Brasília) contra a Coreia do Sul sem o meia Verón, colocado para descansar pelo técnico Maradona.

O veterano de 35 anos foi um dos que mais correram em campo na partida inicial, contra a Nigéria, até ser substituído no final do segundo tempo, mas Maradona disse que não quer arriscar que o jogador se machuque.

"Sebástian (Verón) quer jogar porque ninguém quer perder um jogo de Copa do Mundo", disse o técnico.

"Mas temos que avaliar os riscos e isso poderia piorar alguma lesão, o que seria o fim da Copa para Verón, o que não quero."

"Preciso de Verón, expliquei a ele meus motivos e ele concordou que essa seria a melhor coisa para o time."

Polêmica

Maradona elogiou a forma de Lionel Messi e negou que o craque do Barcelona esteja no mesmo nível de outros jogadores deste Mundial.

"Os que você mencionou (respondendo a pergunta de um repórter), Podolski, Elano e Maicon? Nenhum deles chega nem perto do desempenho de Messi. Nenhum dos mencionados tem 40% da habilidade de Messi", disse ele.

Maradona ainda criticou Pelé, que havia dito que ele só havia concordado em treinar a Argentina por causa de dinheiro.

"Isso não me surpreende. Pelé que volte para o museu", disse ele.

Sobre a partida de quinta-feira, Maradona disse que "com todo respeito, vocês não tem um Messi no seu time".

"A Coreia do Sul joga de forma compactada. Eles são um time rápido e bom, merecedores de respeito, mas vamos vencê-los"

França

Nos outros jogos do dia, a Grécia enfrenta a Nigéria às 16h (hora local, 11h de Brasília) em Bloemfontein. Ambas as equipes perderam seus jogos de estreia pelo grupo B.

Fechando a rodada pelo grupo A, a França enfrenta o México no último jogo do dia, às 20h30 (horário local, 15h30 horário de Brasília) em Polokwane.

O técnico mexicano, Javier Aguirre, prometeu manter a formação ofensiva com três atacantes.

Já o treinador francês, Raymond Domenech, disse que a responsabilidade pela primeira vitória do time na Copa está nas costas dos jogadores.

"Nenhum técnico pode jogar no lugar deles", disse ele, afirmando ainda que a seca de gols - a França ainda não marcou gol algum este ano - pode ter um efeito positivo sobre seus atacantes.

"O objetivo principal dos atacantes é marcar gols e se isso (não marcar gols no primeiro jogo) os irrita, melhor", completou.

Notícias relacionadas