Economia

Aquecido, mercado de petróleo brasileiro pode se beneficiar de acidente no Golfo

Player

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

O Brasil vive um momento de grande aquecimento no mercado de produção e reformas de plataformas para a exploração de petróleo, com os estaleiros vivendo seu melhor momento em décadas.

Segundo Domingos D’Arco, presidente do Estaleiro Mauá, há uma “continuidade” na demanda por trabalho nos estaleiros, que contam com mão-de-obra qualificada.

“O pessoal já está treinado, sabe o que fazer, sabe como fazer, nós temos pessoal envolvido em engenharia, em fabricação, todo esse grupo está muito bem treinado para fazer esse tipo de trabalho”.

D’Arco, no entanto, reclama das dificuldades alfandegárias para a importação de componentes.

Apesar dos problemas, o mercado está bastante aquecido e os estaleiros estão trabalhando em seu limite, já existindo uma lista de espera para a contratação de plataformas.

Com a demanda tão grande, analistas dizem que o mercado brasileiro pode acabar se beneficiando do acidente no Golfo do México, já que, com a proibição de perfurações em águas profundas determinada pelo governo americano, muitas plataformas que operam na região podem acabar sendo trazidas para o Brasil.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.