Sindicatos franceses compram vuvuzelas para usar em manifestações

Vuvuzelas
Image caption Vuvuzelas estão gerando reclamações na Copa

Sindicatos franceses vão utilizar as vuvuzelas sul-africanas em manifestações previstas para esta semana em Paris contra o projeto de reforma das aposentadorias anunciado pelo governo.

A confederação sindical CFTC confirmou à BBC Brasil ter comprado "várias centenas de vuvuzelas" para utilizar na manifestação contra a reforma da aposentadoria na próxima quinta-feira.

"Tínhamos receio de que com a Copa do Mundo ninguém desse muita atenção aos protestos. É uma maneira de conciliar a atualidade social com o evento esportivo", afirma Estelle Wanou, da assessoria de imprensa da CFTC.

José Pecci, diretor comercial de uma empresa que importa o barulhento instrumento que vem provocando queixas na Copa do Mundo, disse à BBC Brasil que os sindicatos CFDT, CGT e FSU encomendaram cerca de mil unidades.

"Os sindicatos exigiram uma entrega rápida para dispor das vuvuzelas nas manifestações previstas para o dia 24 de junho", afirma Pecci.

O instrumento que produz um estridente zumbido, semelhante ao das abelhas, vem fazendo tanto sucesso na França, que o estoque da empresa já foi esgotado.

O site do importador AGM-TEC informa que “em razão do sucesso das vuvuzelas, a empresa lamenta não poder enviar as encomendas antes de 21 de junho”.

Sucesso

Pecci afirma ter começado a importar o instrumento há dez dias, pouco antes do início da Copa do Mundo, e diz já ter vendido 20 mil unidades na França e ter, no total, 100 mil peças encomendadas que devem ser entregues nos próximos dias.

Na sexta-feira, ele receberá mais dez mil vuvuzelas. “Até o final da Copa, importaremos a cada quatro dias dez mil unidades”, diz o diretor, que lamenta não ter previsto, com um mês de antecedência, o “fenômeno de moda” na França.

“Teria importado um milhão de vuvuzelas”, diz ele, que afirma ter recebido pedidos de dezenas de milhares de unidades de grandes lojas de departamento francesas, como a Printemps, embora não tenha aceitado essas encomendas por razões de negociações em relação às condições de pagamento.

“Há dez dias, ninguém vendia vuvuzelas na França. Estamos trabalhando sem estoques porque é um produto que corre o risco de não ser mais vendido após a Copa do Mundo. Estou recusando encomendas porque não tenho produto para entregar”, afirma.

As vuvuzelas de plástico são vendidas na França por 10 euros (cerca de R$ 22). A versão que pode ser desmontada custa um pouco mais, quase 12 euros.

O instrumento pode ser visto em algumas ruas de Paris, como na região do bairro popular de Château d'Eau, que reúne inúmeros cabelereiros e salões de beleza africanos, que tentam atrair clientes utilizando as vuvuzelas para chamar a atenção dos passantes.

Notícias relacionadas