Brasil tem problemas com gramados na África do Sul

Image caption Frio intenso tem castigado os gramados da Copa na África

O Brasil não está conseguindo ter sorte com os gramados nesta Copa do Mundo. Pela segunda vez seguida, a equipe não poderá fazer o treino de reconhecimento de campo antes de uma partida.

A Fifa pediu que Brasil e Portugal não utilizem o campo do estádio Moses Mabhida, em Durban, para evitar que o gramado sofra desgaste.

O mesmo pedido havia sido feito à seleção brasileira antes da partida contra a Costa do Marfim no Estádio Soccer City, em Johanesburgo.

O capitão da seleção, Lúcio, mostrou insatisfação nesta quarta-feira com o fato de o Brasil não poder fazer o treino de reconhecimento do gramado no estádio.

"Seria melhor se pudéssemos treinar um dia antes no estádio para se adaptar melhor ao gramado e conhecer o estádio", afirmou Lúcio, que disse desconhecer o motivo de a Fifa cancelar o treino oficial.

Baseada em Johanesburgo, a seleção brasileira estava viajando dois dias antes para Durban justamente para fazer o treino de reconhecimento. A viagem foi mantida e a CBF divulgou que o Brasil treinará no estádio Princess Magogo - o terceiro campo diferente usado para treinos da seleção desde a chegada à Copa.

Na semana passada, o Brasil precisou mudar o local onde realiza os treinos em Johanesburgo. O gramado da escola Hoërskool Randburg, no norte da cidade, foi considerado inadequado pelos jogadores. O meia Ramires disse que o campo estava "soltando muita grama".

Desde então, o Brasil vem treinando em outro gramado oficial da Fifa, na universidade St. Stithians, a poucos quilômetros do local.

Explicação

A Fifa culpa o frio mais rigoroso do que o comum deste inverno sul-africano pelos problemas com os gramados.

"O frio fora de época dos últimos dias em Johanesburgo, Rustemburgo e Pretória fizeram com que os campos tivessem que ser protegidos com grandes coberturas para evitar o impacto das condições geladas na grama e para preservar as suas condições", afirmou o especialista em gramados da Fifa, Richard Hayden.

Image caption Organização tem tentado reparar o estrago aos gramados

"Igualmente as condições úmidas em Durban e Port Elizabeth obrigaram que os treinos oficiais fossem suspensos para manter a qualidade do gramado para os treinos, que é a prioridade."

Uma equipe de especialistas da entidade britânica Sports Turf Research Institute está há quatro meses monitorando e fazendo a manutenção dos 54 gramados usados para jogos e treinamentos na Copa do Mundo.

Inglaterra e Eslovênia também não puderam realizar o treino oficial no campo de Port Elizabeth antes do jogo decisivo desta quarta-feira. O gramado do Estádio Nelson Mandela foi usado na segunda-feira para a partida entre Suíça e Chile.

Nos últimos três dias, choveu muito na cidade, e várias partes do gramado se soltaram após a partida. Após o jogo, o campo ficou todo esburacado. Devido ao problema, a Inglaterra adiou sua viagem para Port Elizabeth e passou mais um dia na sua base de treinamento, em Rustemburgo.

Notícias relacionadas