Júlio Baptista joga no lugar de Kaká; Elano está fora

Image caption Júlio Baptista disputou a Copa América na posição de Kaká

O meia Júlio Baptista começará jogando contra Portugal nesta sexta-feira no lugar de Kaká, que cumpre suspensão pelo cartão vermelho tomado na última partida. Já o meia Elano, que se contundiu no jogo com a Costa do Marfim, será poupado.

As duas alterações foram confirmadas pelo técnico Dunga nesta quinta-feira. O treinador não confirmou quem substituirá Elano.

O mais provável é que Daniel Alves seja escalado na posição.

"O Júlio já jogou na Copa América nesta função e ele se adapta muito bem ali. Lógico que o Kaká tem uma explosão que poucos jogadores têm, mas nós ganhamos com o Júlio porque ele tem o chute de longa distância e é potente no meio de campo", disse Dunga.

Mudança

A última vez que Júlio Baptista foi escalado por Dunga foi no amistoso contra o Zimbábue, no dia 2 de junho. O jogador atuou no segundo tempo substituindo Kaká, que na época ainda não tinha condições de jogar por 90 minutos.

A principal partida do jogador pela seleção foi justamente na função de Kaká, em julho de 2007, na final da Copa América. Júlio Baptista jogou bem e marcou um dos gols na vitória sobre a Argentina por 3 a 1.

Sobre Elano, Dunga disse que o jogador será preservado, mas ainda será avaliado mais uma vez na sexta-feira.

Esta será a primeira vez que Dunga muda a escalação inicial do time brasileiro desde que começou a Copa do Mundo.

Portugal

O Brasil já está classificado para as oitavas-de-final da Copa do Mundo. Portugal ainda não se garantiu na próxima fase, mas só perde a vaga se for derrotado e se a Costa do Marfim aplicar uma goleada na Coreia do Norte.

Do lado português, Carlos Queiroz faz mistério sobre a escalação da equipe. Ele diz que apenas os meias Ruben Amorim e Deco estão vetados, ambos por contusão, mas afirmou que divulgará a lista de titulares apenas na sexta-feira.

Sobre Kaká, Dunga voltou a defender o jogador das críticas de que ele teria caído nas provocações dos atletas da Costa do Marfim ao ser expulso.

"O Kaká estava muito equilibrado. Ele já vinha sofrendo três ou quatro faltas, ponderou com o juíz e por isso tomou o cartão amarelo, o que é uma coisa normal. No segundo episódio, a televisão mostrou que o [outro] jogador veio ao encontro do Kaká", disse Dunga.

"Mas uma coisa que estamos debatendo não só Copa do Mundo, mas desde as Eliminatórias, é que nós temos que começar com 11 e terminar com 11. Se o Brasil tiver este equilíbrio, nós vamos sempre conseguir o nosso resultado."