Para técnico espanhol, enfrentar Portugal no lugar do Brasil não é 'consolo'

Image caption Cristiano Ronaldo é a maior esperança portuguesa para a Copa do Mundo

O técnico da Espanha, Vicente del Bosque, afirmou que não encontra consolo no fato de que enfrenta Portugal nas oitavas de final da Copa da África do Sul, nesta terça-feira, às 20h30 (horário local, 15h30 de Brasília), ao invés do Brasil, outra possibilidade de cruzamento.

Se Portugal tivesse terminado na primeira colocação do grupo G, lugar ocupado pelo Brasil, o adversário da Espanha na partida disputada na Cidade do Cabo seria a seleção brasileira.

"Não encontro consolo no fato de que enfrentaremos Portugal ao invés do Brasil. Ambas são grandes equipes", disse ele.

"Vimos como eles controlaram o jogo contra o Brasil, os atacando em contra-ataques. Eles vão ser oposição muito forte", completou.

Del Bosque não disse se o time vai marcar o astro português Cristiano Ronaldo individualmente, mas o zagueiro espanhol Capdevila afirmou que "a melhor forma de parar Ronaldo é com a ajuda de meus companheiros".

"Ele é muito rápido, tem muita liberdade no campo. Acho que ele vai se mover por todo o ataque e temos que estar muito alertas para este movimento", disse Capdevila.

Portugal não levou gols em 22 dos últimos 26 jogos internacionais que disputou, mas o técnico português Carlos Queiroz disse que isso vale pouco dentro de campo.

"Nossos oponentes marcaram gols em apenas quatro dos últimos 26 jogos, mas não podemos entrar nas oitavas pensando em reputação ou estatísticas. Os jogadores têm que conseguir o resultado", disse ele.

Os espanhóis já venceram 16 confrontos com Portugal, empataram 12 e ocorreram 7 derrotas. No último jogo, a equipe portuguesa venceu e eliminou a espanhola na Eurocopa 2004.

História

Na outra partida desta terça-feira, o Japão joga com o Paraguai às 16h (horário local, 11h de Brasília) em Pretória.

Image caption O Paraguai nunca avançou às quartas de final em uma Copa

O técnico japonês, Takeshi Okada, disse que as jogadas envolvendo bolas paradas devem ser decisivas.

"Queremos marcar gols em bolas paradas e não conceder nenhum desta forma."

Ele disse sentir-se honrado de ser a única nação asiática a continuar na Copa e que, desde a primeira partida, seus jogadores vêm disputando os jogos como se estes fossem eliminatórios.

"Queremos continuar jogando com esta atitude", disse.

Já o técnico paraguaio, Gerardo Martino, falou da possibilidade da passagem inédita às quartas de final do torneio. Historicamente, as oitavas de final foram a melhor posição já alcançada tanto por Japão como pelo Paraguai.

"Se não nos classificarmos, ninguém se lembrará muito de nós, mas se alcançarmos a melhor classificação da História do Paraguai, vão falar de nós por algum tempo", disse ele.