Temores sobre recuperação global derrubam mercados

Operador da Bolsa de Valores de Nova York nesta terça-feira (Reuters)
Image caption Investidores estão preocupados com dados sobre China e EUA

Temores a respeito da saúde da economia global e da estabilidade de bancos europeus fizeram com que bolsas de valores do mundo inteiro registrassem fortes quedas nesta terça-feira.

Nos Estados Unidos, o índice Dow Jones da Bolsa de Valores de Nova York caiu 2,65%, enquanto o índice mais amplo S&P 500 fechou em seu menor nível em oito meses.

Já em São Paulo, o índice Bovespa fechou com um recuo de 3,5%, em 61.977 pontos, enquanto o dólar subiu 1,57%, sendo negociado a R$ 1,81.

Horas antes, os principais mercados europeus também haviam registrado quedas significativas.

O índice FTSE 100, da Bolsa de Valores de Londres, fechou o pregão desta terça-feira com recuo de 3,1%, enquanto o Cac 40, da Bolsa de Paris, teve retração de 4% e o índice alemão Dax caiu 3,3%.

Entre os principais motivos para as quedas está a desconfiança dos investidores a respeito da força da recuperação das economias globais, principalmente após a divulgação de dados negativos relativos aos EUA e à China.

Indicadores

Nesta terça-feira, a influente consultoria econômica The Conference Board revisou para baixo suas estimativas a respeito da economia da China em abril.

Segundo a consultoria, a economia chinesa teria apresentado um crescimento de 0,3% em abril, índice menor que o anteriormente estimado, que era de 1,7%.

Pouco depois, a mesma consultoria divulgou seu índice de confiança dos consumidores nos Estados Unidos, que após três meses consecutivos de alta, caiu de maneira significativa em junho.

O índice é baseado em uma pesquisa feita em 5 mil residências em diversas partes dos EUA.

“A crescente incerteza e apreensão a respeito do estado futuro da economia e do mercado de trabalho, resultado do recente declínio no número de empregos, são a razão principal para esta queda de confiança”, disse Lynn Franco, diretora da pesquisa de confiança do consumidor da consultoria.

Além disso, muitos investidores também temem que bancos europeus possam passar por problemas de caixa, com o fim do prazo para o pagamento de empréstimos feitos pelo Banco Central Europeu (BCE).

No ano passado, o BCE foi forçado a oferecer a bancos europeus empréstimos baratos a serem pagos no prazo de 12 meses para que as instituições financeiras pudessem enfrentar a crise.

O prazo para o pagamento vence na próxima quinta-feira, o que aumentou os temores entre os investidores de que as instituições passem por dificuldades de caixa.

Notícias relacionadas