Estados Unidos

Furacão Alex chega à costa do México

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

O furacão Alex chegou na quarta-feira à costa nordeste do México com fortes chuvas e ventos de até 160 km/h que arrancaram telhados e obrigaram milhares de pessoas a abandonarem as suas casas.

Esta é a primeira tempestade da temporada no Oceano Atlântico e afetou principalmente o litoral e regiões mais baixas, segundo as autoridades.

Cerca de mil moradores dos condados de Hidalgo e Cameron se refugiaram em acampamentos montados pelo governo mexicano.

Apesar dos estragos, os prejuízos não foram considerados grandes e não há registros de mortos ou feridos.

De acordo com o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos, Alex perdeu parte de sua força e desceu da categoria 2 para 1.

Mais chuvas

A expectativa é de que Alex continue a se deslocar rumo ao norte e que se dissipe nas próximas 24 a 36 horas.

Mapa da rota do furacão

Acompanhe a rota do furacão prevista nesta quinta

As autoridades alertam que com o arrefecimento dos ventos, no momento o principal risco da tempestade são as fortes chuvas, que podem alagar mais regiões.

Segundo o governo americano, a tempestade atingiu a costa do México por volta de 23h, hora de Brasília, a cerca de 180 km ao sul da cidade de Brownsville, no Texas, que fica na fronteira entre os dois países.

Antes de a tempestade atingir o continente, o presidente americano, Barack Obama, já havia declarado, na última terça-feira, estado de emergência no Texas.

As grandes ondas causadas pela tempestade também provocaram a interrupção de parte dos trabalhos de limpeza do vazamento de petróleo causado pela explosão de uma plataforma da BP no Golfo do México.

Embarcações que trabalhavam na contenção do vazamento foram obrigadas a voltar para seus portos por ordem da Guarda Costeira americana.

Além disso, voos e operações controladas de queima de óleo no Golfo do México também foram adiados.

Mesmo assim, os trabalhos de recolhimento do petróleo no local do vazamento não foram interrompidos pelo mau tempo.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.